"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

11/06/09

Alice Vieira, pelos olhos de uma criança!




" A minha infância foi não ter tido amigos da minha idade, não ter ido à escola, não ter esfolado os joelhos, não ter sujado sequer os bibes de folhos que me vestiam sobre os fatos.
A minha infância foram os amigos encontrados nas páginas dos livros, O Feiticeiro de Oz, O Romance da Raposa, O Menino Enjeitado, As aventuras de Sandokan, tantos, tantos.
A minha infância foi também uma velha máquina de escrever, onde tentei juntar letras, fazer palavras e que bonito era aquele som! A minha infância, acho que só começou quando entrei no Liceu Filipa de Lencastre e, pela primeira vez, brinquei com gente da minha idade. Da minha infância, acho que só gostei da máquina de escrever. Da minha infância, só isso guardo: está aqui, é nela que hoje escrevo. E o som é o mais bonito de todos."
Assim, começou o seu trabalho sobre escritores portugueses, a minha aluna Inês Custódio do 6ºD, terminando com esta frase, que considerei uma delícia:
Alice Vieira, com as suas histórias, ensina-nos a sonhar com uma vida melhor!

1 comentário:

Anónimo disse...

muito gira e compreensiva para as crianças

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"