"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

30/04/10

Bocas, o socorrista!

Bichos imaginários!

A partir do modelo, o 6ºK criou alguns textos bem interessantes...Ora reparem:
" O Xitopardo é um animal extremamente raro.
Ele vive em África, o seu nome é xitopardo, pois, é metade chita e metade leopardo. É um animal extremamente rápido e forte.
Ele apanha as suas presas, sem elas se aperceberem.
Durante o dia, caça e à noite, além de dormir, alimenta as suas crias."

Paulo Tavares

"Era uma vez um bicho chamado careta, que era vermelho, branco e castanho.
Quando acordava, começava logo a fazer caretas.
Um dia, quando fez uma terrível careta, eu fingi que desmaiei e ele ficou preocupado.
Como era a fingir, retribui-lhe a careta, o que o assustou muito! Correu, correu, correu...até que desapareceu!
Nunca mais o vi! Será que alguém viu, o meu bicho careta? Se o encontrarem, não se assustem, porque ele é meiguinho...Apenas gosta de pregar partidas e de assustar as pessoas!"


Abdul

O piolho encardido é um bicho muito esquisito! É peludo e preto, com umas pernas muito pequeninas!
De noite, os olhos dele ficam iluminados! E sabem qual é a sua mania? Gosta de ir a casa das pessoas beber chá, mas as pessoas nem se interessam, porque é um bicho muito engraçado...Divertem-se a comentar:
-Vem aí o piolho encardido!
E pronto...toca a preparar o chá!"


Melissa


" O bicho-careta é um animal muito grande, que vive na floresta...Tanto aparece de dia, como de noite!
As pessoas, se o avistam, começam-se a rir, porque ele faz logo umas grandes caretas!
De noite, ele caça e de dia vai dormir nas cavernas, escondidinhas entre as árvores. Acreditam que, às vezes, até vai ao circo animar as pessoas? Pode ser que o vejam por lá, um dia destes!"


Pedro Tavares

"O meu bicho chama-se Hansboi e vive na América.
Gosta de passar o tempo a dormir...Só à noite é que vai passar e caçar as suas presas.
É muito raro, por isso encontramos poucos...Costuma acasalar-se uma vez por ano e a fêmea só tem uma cria de cada vez, por isso cada vez há menos animais desta espécie."


Sana

"O lesmarão anda sempre de dia, anda como quem diz, pois é muito, muito lento...quase que nem se mexe!
Ocupam-se a tratar das suas águas, porque os humanos andam sempre a sujar as suas latas.
Comem restos de comida, que adoram.
É um animal muito querido, mas tem uma língua muito grande, para apanhar lixo, antes de tocar no chão! Assim, é muito útil para o sistema económico."


João Joaquim

Horta Pedagógica!

Pois é...estas couves e estas alfaces foram fruto do trabalho dos meus alunos. O 6ºJ criou e tem tratado de uma horta ao longo deste ano lectivo...Hoje ofereceram-me este presente.
Foi um Projecto que resultou e lhes agradou...o Alex até comeu o primeiro morango da colheita!

29/04/10

Para estudar para as Provas...

Soube agora pelo Blog de uma amiga, que o GAVE disponibilizou uma listagem de conteúdos, para se prepararem para as Provas de aferição.
Aqui fica, para que possam ainda ver aquilo que sabem ou não fazer...

Sultão, o herói!

Passatempo: Escritor Mistério!

Se queres continuar a marcar pontos, a partir da próxima semana, dirige-te ao CRE e tenta descobrir quem é o escritor mistério que te propomos para o mês de Maio:

No seu nome há uma palavra
Que sabe bem, de manhãzinha…
Quando posta no feminino
E barrada com manteiguinha!

Por bichos é fascinado!
Sobre todos, já escreveu…
Até um veado florido,
O escritor nos ofereceu!

Quem é este escritor???????

Outra versão da casa...

Textos do 6ºF!





Textos, nas aulas de PLNM!


Texto de Sofia Silva, 6º B PLNM, com a colaboração de Binta, 5ºH

26/04/10

Ontem foi dia de beleza, ar puro e alegria!

















Uma aula no CRE!

Hoje o 6ºE foi assistir a uma palestra sobre o 25 de Abril, no CRE.
A iniciativa partiu da Associação de Pais e o resultado foi uma aula interessante, na voz de alguém que viveu directamente os acontecimentos de há 36 anos atrás!
De uma forma descontraída e com um discurso cativante, foi-nos contado como o povo vivia oprimido, com medo...sob um regime ditatorial, em que a PIDE tinha "olhos espalhados" por todo o lado.
Não havia paz, nem fartura, nem direitos...as mulheres, então, muito pior que os homens, eram "escravizadas", fartas de trabalhar, nem o direito de votar tinham.
Os rapazes mal nasciam sabiam já uma certeza...aos dezoito anos tinham de ir para a tropa e para a guerra!
Até que...depois de muitas tentativas infrutíferas, a LIBERDADE venceu!
O 6ºE nem queria acreditar que nesse tempo, só os ricos prosseguiam estudos, que poucos tinham frigoríficos ou máquina de lavar...que as mulheres trabalhadoras nem recebiam os seus salários! Na verdade, os pais ou os maridos (se fossem casadas) íam recebê-los por elas!
Ficaram admirados ao descobrir que alguns, fingindo-se de amigos, "se vendiam" e só conheciam a palavra traição! Assim, ouviam planos de luta e, a seguir, corriam a contá-los aos responsáveis por toda aquela opressão!
Ainda houve tempo para se falar de poesia...tendo sido referido aos alunos o poema "Luísa sobe a calçada" de António Gedeão, que retrata o sofrimento das mulheres na época e "As portas que Abril abriu", que fala das conquistas que o 25 de Abril nos trouxe...A LIBERDADE foi um dos valores máximos conquistados.

25/04/10

O 25 de Abril!


Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen, in " O nome das coisas"

Retribuindo o carinho!

24/04/10

Concurso Literário da nossa Escola!

Sobre o prazer de ler...ganhou o prémio da escrita um aluno do 5ºA, com o seguinte texto, que não resisto a publicar:


O meu prazer de ler

"Mais do que as palavras,ler é saborear
Histórias tristes e belas, cenários de encantar
Mais do que ciência, ler é experimentar
Ler é sobretudo prazer...o meu prazer de ler
Ler é não ter medo, ler é liberdade,
Ler é viajar, por terra, por rio e mar
Ler é sobretudo prazer...o meu prazer de ler
Ler é mais que tudo o que eu possa imaginar
Ler é ser alguém, alguém que tem para dar
dar e receber, dar para viver
Ler é sobretudo prazer... o meu prazer de ler."




André, 5ºA

Revolução!

Revolução

Como casa limpa
Como chão varrido
Como porta aberta

Como puro início
Como tempo novo
Sem mancha nem vício

Como a voz do mar
Interior de um povo

Como página em branco
Onde o poema emerge

Como arquitectura
Do homem que ergue
Sua habitação

Sophia de Mello Breyner Andresen, in "O Nome das Coisas"

Poemas de Abril!

A Revolução

teve uma flor
o cravo.

Não teve um animal
e, como tal,
proponho o elefante
tão paciente e sofredor
durante tanto ano
mas quando a paciência se esgotou
foi coisa de se ver
violento
eficaz
empolgante.
Depois, voltou a ser
lento
bom rapaz
algo distante.
Mas, atenção
nunca se viu morrer
um elefante!

Ser ou não ser Carneiro?

Votava de cruz
à ordem do pastor
mas veio Abril
e já começa a ter cor
e já começa a saber
o que quer
e já começa a votar
a pensar
pela própria cabeça
e não pela cabeça do parceiro.
Em resumo já não é carneiro.

Carlos Pinhão, Bichos de Abril

Meio Abril?

Faz-me um Abril mapa inteiro
para colorir
a vermelho
labirintos
descoloridos
onde perdidos nos afogamos.
Faz-me um desenho Abril janela
a explicar
esta súbita
falta de ar
e um caminho
para escapar dela.

Tenho de ser eu?

Não podes ser tu a dizer por mim
não em vez de sim
letreiro apontando a porta
onde saio?

(Verdade?
Se não for eu
mais a minha mão
não há Abril inteiro
só meio Abril
não temos canção
nem sequer há Maio?)

Teresa Martinho Marques, in "tempo de teia"

23/04/10

E ainda...

Apeteceu-me...

Um trabalho de Ciências!

As Preposições!

"Ante a praia estou
Após uma boa refeição,
Até fazer a digestão
Com os pés na areia estou.
Conforme o que comi
Contra a digestão lutar,
Desde que comi, não consigo aguentar.
Entre a areia e o mar
Para o meu corpo banhar,
Perante o sol a raiar,
Sem me queimar
Sob a acção do protector, muito importante usar.
Sobre as horas descansei.
Trás!! Pás!! E mergulhei!! "


Contributo de Inês Gomes, 7ºC, N º13

Este texto prova que a brincar, também se aprende...sobretudo conhecimentos do Conhecimento Explícito da Língua.
Retirado de :

http://sitiodaescola.blogspot.com/

"Um trabalho tenho de fazer
Com a, ante, após e até ao anoitecer.
Entregar à professora
É o meu dever
Conforme estava combinado
Preposições irá ter
São palavras amigas
Que nos ajudam a escrever
Em, entre, para, por
São algumas delas.
Quando as conhecemos
Fazem frases tão belas!
Sem, sob, sobre, trás,
É só decorar
A fazer uma frase
Para o meu português melhorar!"


Contributo de Carolina Bernardeco, 7ºA

22/04/10

Passei pelo "Planeta Tangerina" e...

Sérgio Godinho e o gomo da tangerina!

Autoria: Sérgio Godinho

Todos vieram
Ver a menina
Ao primeiro gomo da tangerina
Menina atenta
Não experimenta
Sem primeiro
Saber do cheiro
O sabor nos lábios
Gestos sábios

Fruta esquisita
Menina aflita
Ao primeiro gomo da tangerina
Amarga e doce
Como se fosse
Essa hora
Em que chora
E depois dobra o riso
E assim faz seu juízo

Sumo na vida
É o que eu te desejo
Rumo na vida
Um beijo
Um beijo

Ah, que se lembre
Sempre a menina
Do primeiro gomo da tangerina
P'la vida dentro
É esse o centro
Da parcela da vitamina
Que a faz crescer sempre menina

A terra é grande
É pequenina
Do tamanho apenas da tangerina
Quem mata e morre
Nunca percorre
Os caminhos do que há de melhor
Nesse sumo
A vida, gomo a gomo

Sumo na vida
É o que eu te desejo
Rumo na vida
Um beijo
Um beijo

PLNM!

21/04/10

Lisboa...

Um sonho...realizado pela estrela-cadente!






Estrela

Estava eu numa noite de luar, em que havia muitas estrelas ,muito pensativa, a olhar o firmamento... enquanto estava a olhar pró céu, eu sonhava. E enquanto eu sonhava , uma estrela cadente falou comigo.
-Olá, como estás?
E eu ,meio confusa, respondi:
- Olá, estou bem e um pouco confusa. Como é que consegues falar?
- As pessoas, na sua maioria, não acreditam nas histórias de fadas e magias, mas só as mais sonhadoras, como tu é que conseguem falar com personagens imaginárias como eu.
- AH! Está bem. Já estou esclarecida! Mas já que existes mesmo, será que como se diz nas histórias, tu consegues realizar desejos?

-Sim sim, consigo pois. Ah, mas antes disso…vou apresentar-me. Chamo-me fantasia. E tu, como te chamas?
-Que nome de sonhos .. és mesmo uma personagem animada. Ah sim, pois… continuando. Eu chamo-me Karen.
- Eu sei e obrigada. Sou a mais inteligente e mega-fanática por realizar sonhos do meu planeta. Humm… mas vamos lá ver. Qual é o teu desejo?
- Que fixe! Sabes, há alguns dias, fiquei a saber que talvez me fosse embora, viver para outro país e eu não queria e nem quero mesmo nada . E queria muito que tu tirasses essa ideia parva da cabeça dos meus pais e que eu ficasse a viver cá, com os meus amigos e amigas, porque sem eles eu não sei viver.
- Humm…isso é um desejo difícil, mas como mostras um sentimento tão grande por eles eu vou concedê-lo.
Plimm…plimm..plaam..plooomm!
- Então, o que aconteceu? Realizou-se?
- Já está. Consegui! Isto foi magia e o teu desejo realizou-se. Amanhã terás uma grande surpresa e ficarás muito feliz.
-Ai, que alivio! Obrigada, obrigada e obrigada fantasia. Agora vou poder estar ao pé de quem mais amo todos os dias .
-Estás a ver? As coisas nem sempre são como parecem e há sempre alternativa! Eu é que agradeço e fico muito feliz por estares assim, radiante. Aii … com tanta conversa, a minha mãe já me está a telefonar pelo interfone do nosso planeta! Foi bom estar este tempinho contigo e lembra-te: sempre que olhares para um noite como esta, eu irei aparecer e fazer-te ter um sorriso de orelha a orelha na cara.
-Ah! Ok. Então, até uma próxima, fantasia. Gostei muito de te conhecer . Encontramo-nos em mais uma noite destas. Xaaaauu! Tenho de ir dormir.
- Adeus! Também tive muito gosto em te conhecer. Dorme bem e até á próxima noite.
Piim.. Poom…Plimm..Puummm… FUI!
-Adeus! Adeus!
E assim, no dia seguinte, antes das aulas, os meus pais tiveram uma conversa comigo, a dizer que íamos somente de férias e que eu poderia continuar a minha vida junto dos meus amigos. Fui radiante de felicidade para escola e partilhei com todos os meus amigos que iria ficar com eles para sempre.


Karen Souza nº14 6ºE

18/04/10

Nem parece que o dia está chuvoso!



Pois...a Sofia já me parece boa e o sorriso delas e a felicidade, apaga a cor cinzenta do dia!

Procuram-se...

On recherche un électricien pour rétablir le courant entre les gens qui ne se parlent plus,

un opticien pour changer les regards des gens,

un fossoyeur pour enterrer la hache de guerre,

un artiste pour dessiner le sourire sur tous les visages, un maçon pour bâtir la paix et ...

un professeur de maths pour apprendre à compter les uns sur les autres.

Recebido por mail, através de um amigo especial

17/04/10

Strauss, versão chinesa!

Leitura ao centímetro!

"Tic-tac
Tic-tac
O relógio a saltitar
Silêncio vamos fazer
Oiçam bem com atenção
Para escutar com o coração

O (por definir) está a chegar
E com ele vamos aprender
Que abrir um livro e ler
Dá saúde e faz crescer

É a leitura,
A leitura ao centímetro
É a leitura,
A leitura ao centímetro

Vamos todos dar as mãos
E contar de um a três
1, 2, 3
Era uma vez… "

Assim se inicia um momento mágico, que a par da música, leva as crianças a gostar de ler, desde tenra idade...num blog que gostei de descobrir.
Cá fica o link:
http://leituraaocentimetro.blogspot.com/

Memórias passadas...e saudades!





Apesar de ter a Sofia adoentada...parece que algo lhe fez mal e agora nada lhe fica no estômago! Estou cansada de lhe dar banhos, de lavar roupas...ainda hoje, mal acordou pediu leite com chocolate: bebeu um pacotinho de leite e permaneceu deitada, na minha cama...Mal tinham passado cinco minutos, vi-me, de repente, com uma cama inundada de chocolate! Lá foi mais um banho, lavar lençóis, limpar chão...nem uma almofada escapou! Mas apesar disso, não podia deixar de agradecer aos meus alunos do ano lectivo anterior, por me mostrarem que continuo presente nas vidas deles...Primeiro foi o André, do antigo 6ºB, para quem a minha opinião sobre o que escreve, ainda tem valor...o que me deixou muito orgulhosa! Receber um texto dele, poder publicá-lo aqui neste meu "cantinho", fez reaparecer um pouco em mim essa minha antiga turma, com quem tantas "viagens" maravilhosas fiz...eram maravilhosos, eram incríveis e nunca os esquecerei.
Hoje mais uma surpresa, a Vera da turma C comentou um antigo trabalho, realizado por ela e outras meninas, no ano anterior, no Clube, que deixou de existir...com muita pena minha, mas a escola parece que encolhe e o espaço torna-se cada vez menor!
A Vera dizia:" O 6ºC, é que era!"...isso trouxe-me tantas lembranças, tantas saudades! Era a turma das danças, das ilustrações em Área de Projecto, dos risos, das flores! Tantas vezes, me ofereceram flores, misturadas com sorrisos...e aqueles desenhos, que faziam as minhas delícias...
Um dia, o Gonçalo e o Ronaldo fizeram-me chorar, mas, logo a seguir, me recompensaram com aquele sorriso meigo, aquele pedido sincero de desculpas...Mesmo agora, é o Gonçalo quem mais vezes vejo, porque reprovou, por isso aparece-me à porta da sala a dizer bom-dia ou a perguntar, com aquele ar tão característico:" Não quer trocar de turma? Queria voltar a tê-la como professora!"
Pois...gostava que o Gonçalo crescesse mesmo, por dentro, e se endireitasse na vida, porque tem um coração meigo...Gostava de saber como vai o Ronaldo...se melhorou aquele comportamento! Quem me dera voltar a receber um desenho dele! Quem me dera, ver as meninas dançar para mim, novamente...Que saudades, das minhas três turmas!

16/04/10

Neste dia...

...recordo a voz de uma aluna, que tive há uns anos atrás...Parabéns, Ana Teresa!

A Pena Azul do Rei...uma história a não perder!

Lembram-se daquela turma do ano passado, onde tive vários alunos no TOP da Escola? Foi uma daquelas turmas, que nunca poderemos esquecer e tenho muitas saudades deles todos.
A maioria nunca mais os vi, mas ontem tive uma agradável surpresa...o André, que era um dos meus grandes escritores, contactou-me pelo Blog.
Continua a escrever e quer que eu leia as suas lindas histórias, que sempre me encantaram...Diz que agora anda a tentar escrever algo maior...não histórias de duas páginas...e acredito que poderemos vir a ter aqui um grande escritor.
Enviou-me uma linda história, que aqui vos deixo...depois digam lá se tem ou não futuro...Para mim, o André será sempre um dos alunos mais brilhantes, que tive a sorte de conhecer.


A Pena Azul do Rei

Num reino muito longínquo governava um rei que acreditava em todas as histórias e em todas as lendas que se contavam na sua vila.
Um dia surgiu um rumor de que os pavões, que o tratador real tratava com muito carinho e delicadeza, tinham penas mágicas que davam sorte a quem as possuísse.
De camponês em camponês, de agricultor em agricultor e de guarda em guarda, chegou aos ouvidos do rei o tal rumor das penas mágicas.
Mas é claro que não chegou tal e qual como começou, pois houve muitas alterações pelo meio!
Os camponeses queriam dinheiro, os agricultores chuva para as plantações e claro que os guardas queriam mais segurança para não terem de trabalhar dia e noite incansavelmente.
-Com que então uma pena de um desses pavões, traz-me sorte, dinheiro, chuva e segurança? O que acha disso, meu fiel colega? – perguntou ele ao conselheiro real.
-Acho que não há nada a perder senhor! Temos que admitir que essa “sorte” era capaz do nos ajudar!
Claro que, como o rei acreditava em tudo, concordou com o conselheiro e mandou chamar o tratador real. Ordenou-lhe logo de seguida que lhe trouxesse o pavão mais lindo e delicado que tivesse entre todas as aves. Assim o fez e o conselheiro escolheu, entre todas as penas coloridas, a mais bonita: uma pena azul claro.
Desde então, as escavações rendiam muito ouro, havia chuva que regava todos os campos e os guardas até podiam dormir em serviço. Todos pensavam que era graças à pena azul do rei, mas houve um dia em que tudo mudou de repente, e para pior. Havia tanto ouro, que não o conseguiam esconder e então guardaram-no todo no castelo.
Os guardas que descansavam, não notaram que ladrões levaram o ouro pouco a pouco. Quando o rei descobriu, houve uma grande confusão e a segurança teve de ser reforçada e treinada. No meio disso, esqueceram-se da chuva que já era demasiada!
Os campos inundaram-se, muitos animais fugiram e a terra, ficou lama.
O rei depressa culpou os pavões e as penas mandando libertar todas as aves no monte. O tratador real, embora triste, assim o fez, mas não foi isso que parou a onda de má sorte.
O povo culpou o rei por acreditar demasiado naquele rumor, que não passava duma lenda impossível.
Passou-se algum tempo e o rei decidiu trazer os pavões de volta, dar um tempo razoável de intervalo aos guardas, pagar aos camponeses os danos da chuva e usar o resto do ouro para fazer novos e maiores campos para os agricultores.
Assim, o rei deixou de acreditar em qualquer coisa que lhe dissessem que não tivesse qualquer sentido.



André Ferreira, 7ºB ESA

Um aluno muito especial!

15/04/10

O Génio da Lâmpada!

Fiz anos há umas semanas... ofereceram-me uma lâmpada muito esquisita.
Numa tarde depois das aulas, estava eu despreocupada a mexer na lâmpada, quando de repente começa a abanar nas minhas mãos e cai ao chão, do seu interior sai uma estranha personagem, que me disse:
-Olá, sou o Génio da Lâmpada e estou aqui para te conceder três desejos.
-Olá…- disse eu confusa- O que fazes aqui e de onde viste?
-Menos perguntas e mais acção. Despacha-te a pedir os desejos, porque eu não tenho o dia todo.
-Bom…eu até desejava ser rica, mas para quê a felicidade de ser rica, se não tiver a felicidade se ter amigos? Prefiro ter amigos, a ser rica. Também para quê desejar ser imortal, se algum dia vou ter de morrer e descobrir como é a vida depois da morte? Para quê desejar viajar pelo mundo inteiro? Se é só para ver miséria, vejo aqui! Se calhar se pedisse para matar a pobreza, fazia melhor figura e amigos para a vida inteira. Pedir para ser sempre feliz seria injusto e egoísta, nem aproveitaria a vida.
- Vais demorar muito? - perguntou o génio, já impaciente.
- Demoro o tempo que quiser. Não sei se são três os desejos, mas quero viver a vida como tiver de ser, é o meu único e maior desejo, vale por milhões. Não sei o que achas, nem se aceitas ou não, mas eu não vou mudar de ideias, se aceitas ainda bem, se não tenho muita pena, mas “baza”!
-Ok ok, eu concedo o desejo e desapareço da tua vista.
-Acho bem!
-Adeus.
Nesse preciso momento, fumo espalha-se pelo quarto e … plim, desapareceu! Se o desejo está cumprido? Se calhar, só o tempo o dirá!

Joana Cavalheiro, 6ºE

Blog: "Pré-Histórias"!

Cartazes antigos....





















Para os que gostam de ler...

14/04/10

Uma história do João!

O Génio da Lâmpada!


No meu aniversário, a minha mãe deu-me uma lâmpada esquisita, estava toda enferrujada!
Então, mesmo achando o presente muito estranho, fui limpá-la...De repente, saiu de lá de dentro uma pessoa...quer dizer, não era bem uma pessoa, tinha um ar muito, muito invulgar!
-Quem és?-perguntei espantado.
-Eu?!
-Sim, tu! Estás a ver aqui mais alguém?
Ah, sou o Génio da lâmpada...
-O Génio?! Que nome tão estranho! Prefiro chamar-te Afonso, se não te importares.
-Por mim, como queiras...Entretanto, como me libertaste, posso conceder-te três desejos...
-Boa! Olha, quero passar de ano, ter boas notas e...deixa-me pensar...
-Os teus desejos são ordens! Considera-te passado, com boas notas. Agora...o terceiro? Vá que não tenho o dia todo!
-Olha...Já sei...quero ser feliz.
E foi assim que a minha vida mudou, de repente...e o Génio, esse foi para outras paragens, ajudar outras pessoas.

Wilson,6ºH Português Língua Não Materna

13/04/10

Coelhos da Páscoa, Primavera e outras coisas à mistura...




Foi o primeiro dia do 3ºPeríodo, nesta turma, e logo na minha secretária surgiram alguns trabalhos sobre as últimas aulas do 2ºPeríodo...trabalhos sobre a Páscoa, a Primavera e o livro do Pedro, o último que li e adoraram...São turmas assim que ainda nos fazem sentir que vale a pena ser professora...que nos dão alento para continuar. Tive sorte, com esta turma e adoro-os.

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"