"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

28/03/11


Ricardo era um rapaz rico e muito mal educado.

Ele tinha uma estante cheia de livros muito mal tratados. Subitamente, o rapaz repara, que começa a escorrer água pelas estantes - eram lágrimas dos livros com saudades das mães, árvores.

O Ricardo foi contar à mãe o que tinha visto, mas quando chegaram debateram-se com a estante vazia.

Para onde teriam ido os livros, interrogavam-se eles.

Os livros fugiram para a floresta para se afastarem do rapaz e para verem as mães.

O rapaz preocupado com o que tinha acontecido procurou por todos os cantos da cidade mas não os encontrou.

Escureceu e o rapaz foi-se deitar.

Durante a noite o rapaz pensou:

- O papel vem das árvores e eu estrago-o. As árvores são as suas mães. Os livros estão na floresta...

No dia seguinte o rapaz foi à floresta e, quando viu os livros, prometeu tratar bem deles.

João Caeiro 5ºD

1 comentário:

Maria da Luz Borges disse...

Parabéns João. A tua história está muito bonita!

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"