"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

22/11/11

Em dias de chuva...

Há dias que correm bem, outros assim, assim e outros nem por isso! Considero que o dia de hoje se enquadra nesta última categoria! Na verdade, não me sentia com aquela boa-disposição costumeira...Haja o que houver, normalmente, a escola consegue fazer-me sonhar, mas hoje não sentia vontade de nada e, talvez por isso, nada do que fiz me soube bem!
Na primeira aula, o JC perguntou logo à entrada se eu estava bem...Conhece-me tão bem, que sentiu algo estranho. Disfarcei, entrei, iniciei a aula, corrigi o trabalho de casa e mostrei-lhes um excerto do filme: "Os visitantes"...Na verdade, este excerto tem um propósito: levá-los a escrever na próxima aula, mas...a seguir, isolei-me na sala de direção de turma...Não me apetecia ver ninguém. Se pudesse, teria vindo enfiar-me na cama. Aliás, era a única coisa que sentia vontade de fazer!
Não dei aula de PLNM e fui ao CRE assistir a uma pequena formação sobre como socorrer uma vítima. Achei interessante, mas não me envolvi completamente...Comi um pão com ovo, à pressa e fui a correr para o 6ºA. Nesta aula, mais uma vez, teria a presença de duas estagiárias...primeiro, não encontrava a pen, com o powerpoint da Guiné, que queria usar como motivação para explorar uma lenda...Vá lá que também tinha os materiais no mail, porque ultimamente tenho tido esse cuidado...pareceu-me que a turma estava algo parada demais, para o meu gosto...pareceu-me que a turma estava estranha, mas talvez fosse apenas eu ou seria da chuva? A aula foi decorrendo lentamente, ainda tentei dar-lhe um toque de magia, recorrendo ao Miguel, a quem pedi que mostrasse às duas estagiárias a dramatização do dia anterior, que correu tão bem com o Paulo...mas, nem o Miguel me pareceu autêntico hoje! Nem ele me fez sorrir ou gostar da aula!
No corredor, esperava-me a minha filha, meio abatida, porque não conseguiu acabar o teste de Ciências...espero que, apesar disso, tenha positiva...Mas, a aula do 5ºA, essa, sim, foi para esquecer! À terça, na sala de Educação Musical, pela própria disposição da sala, por ser ao último tempo e porque a turma é desconcentrada, é sempre difícil, mas hoje foi quase uma missão impossível! Passei-lhes um "sermão", porque a Inês foi incorreta com o Francisco, na aula de Matemática, continuei com um discurso rígido, porque os professores se queixam dos recados que não vêm assinados, porque desapareceu um telemóvel ao Tiago, porque...porque...sempre mil problemas, nesta turma, de quem sou diretora e, ainda por cima, apenas com a disciplina de Português! Um dos alunos deixou-me abismada com esta resposta:
-"A minha mãe não assina os recados, porque não é ela o encarregado de educação e o meu pai, não se levanta cedo!"
Sem comentários, assim é realmente uma missão impossível, quando não podemos contar com a família!
Entreguei ainda as fotografias e, novamente, uma agitação enorme...Comecei a aula, quase meia hora depois! Que fizemos? Quase nada! Leitura do texto:" A máquina do tempo" de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, respondemos a 3 questões do livro e não havia meio de obter a atenção da maioria...Esgotada disse-lhes:
-Imaginem que...encontram uma máquina parecida com esta...para onde iriam? Peguem no lápis e contem-me tudo, em silêncio, desta vez.
E não é que resultou?
Alguns escreveram muito, outros pouco, mas todos começaram a escrever e salvaram a aula...Sexta-feira, vou ouvir o que escreveram...A Inês, que se portou mal na aula de Matemática escreveu:
"Se pudesse viajar no tempo, iria ver como era a minha mãe, em pequenina, como é que ela era, como brincava, como vivia...Depois avançava, até me ver no colo dela e a brincar com os meus manos...Finalmente, voltaria à aula de Matemática, para consertar as tolices que fiz ao Francisco e, sobretudo, para não dececionar a minha professora."

3 comentários:

deep disse...

Parece que não foi só a mim que o dia não correu bem. Senti vontade, toda a manhã e toda a tarde, vontade de vir para casa. Ânimo! Amanhã é um novo dia e há-de, decerto, correr melhor. Um abraço. :)

Professora Emília disse...

Há dias assim... Vive um dia atrás do outro e conta com aqueles que te amam mesmo! Beijinhos e uma noite descansada!

Cristina Lourenço disse...

São dias desses que nos fazem ver como , no geral somos felizes e por vezes nem nos apercebemos...
Afinal o que seria o dia sem a noite,
o sol sem a chuva,
o bom sem o mau?...
Beijinho e força

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"