"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

30/01/12

Comentário sobre o poema "As Fadas do Jardim do Rei"

Este poema fala em fadas que se situam no Jardim do Rei, que é um sítio onde ninguém vai, o interior do seu coração.
A narradora sabe um segredo, que as fadas lhe dizem, mas só quando anoitece.
Ela diz que é preciso estarmos atentos, ver que em tudo o que vemos há um segredo, não precisamos de "ter de medo", o que precisamos de fazer, é viver.
Ao anoitecer ela sabe, que as fadas vêm dançar. Veem ao Jardim do seu coração e ela (a narradora) dança com elas e volta para casa a cantar.
Dizem-lhe que é distraída, que se esquece da sua vida e que anda sempre a sonhar.
Que as fadas são magia, fantasia e sonhos e que ela anda a dormir de dia, mas um dia precisa de acordar.
Ela diz que não é verdade, que ela tem outra realidade, naquilo que não se vê.
Ela sabe que existem fadas, dentro dela sabe que as há, quando o coração crê, o resto do mundo deixa de existir, só ela e a vontade de acreditar naquilo que não se vê e que só o coração pode ver e crer.
Quando o coração crê
tudo se vê claro e mágico
o que não se quer ver, não se vê!
O que se quer ver, é fantástico.


Joana Anselmo, 6ºD

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"