"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

07/03/12

Dá asas à tua imaginação...






Cada vez mais, estou a aprender a "apagar" da minha memória os momentos que me desagradam e a olhar bem fundo, para o que vale a pena. Ainda ontem, a propósito de qualquer coisa, nem me lembro bem o quê...o Felipe, aluno do 5ºA, exclamou:
-"Pois é professora, o D tem de aprender a esquecer o que faz sofrer e pôr o resto no lixo!"
Ficou-me a frase e cá estou eu, então, só para dar conta de pequenas delícias, de gestos simples que me enchem a alma e fazem brilhar os olhos.
Mais uma vez, recebi "estagiárias"...Ser estagiária da ESE, nos tempos que correm, já não é como no meu tempo! Viajo no tempo e...vejo-me uma "miúda tímida" de vinte anos incompletos (pois comecei a "dar aulas" sozinha com 21!)...Durante um ano inteiro, à vez, semana sim, semana não, eu e outra colega de estágio, demos aulas no 1ºCiclo. Preparávamos tudo em conjunto, fosse a minha vez ou a dela. A professora titular não fazia nada...A turma ficou por nossa conta...Foi difícil? Talvez, mas só me lembro de procurar ideias, inventar recursos e...como gostei dessa minha primeira experiência! No ano seguinte, em escolas diferentes ainda por cima, escolas do 2ºCiclo, em Bragança, eu e a Armanda ficámos ainda com mais "trabalho"...ou talvez alegria, porque estávamos ávidas de experimentar...de ser professoras. Mais uma vez, numa semana ela "dava Português" e eu "dava Francês", depois trocávamos. Recordo que até outros colegas eu ajudava a preparar aulas de Francês, que era a minha verdadeira paixão e vocação...Ainda o é, mas agora o Francês tornou-se um sonho cada vez mais distante...Já fui uma excelente professora de Francês, digo-o sem vaidade, mas com convicção, pois Francês é mesmo a minha "praia" favorita...Desde que vim para a PEL...tive de deixar de sonhar em Francês. Mas gosto de ser professora e...pronto! Quando se gosta, tenta-se fazer o melhor, quer seja o Francês ou o Português.
Mas não foi para falar de mim, que vim aqui...estes estágios de agora são diferentes: conheci oito raparigas até ao momento, que assistiram em grupos a duas aulas de 90 minutos de cada turma...sentaram-se, escreveram coisas que não vi...conversaram baixinho...No entanto, descobri nesses pares, duas "professoras" fantásticas...que no pouco que lhes é permitido quiseram, de facto, experimentar e fazer. Revivi os meus tempos de estagiária! Identifiquei-me com ambas, porque se vê à distância que adoram esta profissão, que nasceram para educar!
Na primeira aula, assistiram, mas com uma atenção aos alunos notável...como se lhes custasse apenas observar. Falámos muito no final da aula...Na segunda turma, já se proporcionou a entreajuda...circularam pela sala, deram ideias, confortaram uma aluna que estava triste...aprendi com elas. Foi então que me lançaram a proposta...Numa Formação, a Lúcia ficara fascinada com técnicas de escrita...Percebi que adoravam experimentar e conclui...se quiserem, podem preparar a aula do 6ºA. É uma turma simpática, mas onde as dificuldades de escrita se notam mais. Valeu a pena, "lavaram-me a alma"...
O relato vai longo, mas a experiência merece ser contada. É algo parecido com " A arca dos contos", mas mais simples, inovador...lindo! Motivaram a turma, ofereceram-lhes a hipótese de guardar nesta linda caixa, chamemos-lhe "o tesouro da escrita", os seus textos, deram continuidade ao que fizera na aula anterior e...consolidaram as três palavras-chave das fábulas: Personificação, texto curto, com moralidade. A pares, todos escreveram! Os textos surpreenderam-nos...Alguns ainda foram lidos em voz alta, mas vimos todos os grupos, todos os textos...Começou a haver alguma agitação e conseguiram "fazê-los acalmar"...de uma maneira simplesmente espantosa: "Querem ler, não querem? Então, têm de ouvir os colegas"...Funcionou em pleno e...nunca esquecerei esta aula, que começou com uma simples tabela...escolhendo um número, os pares descobriram as palavras-chave e...vamos escrever!
Resta-me acrescentar que fiquei com a caixa...nessa caixa temos imensas possibilidades: explorar/escrever Bandas Desenhadas, Outras Fábulas, Textos dramáticos, até Adivinhas...Aliás, ao apresentarem ontem os textos, cada par iniciava com uma adivinha inventada por eles mesmo, para que a turma descobrisse a personagem do texto...Deixo-vos com as imagens...Obrigada, às duas "meninas" com quem me identifiquei inteiramente e com quem, de certeza, aprenderia ideias novas, maravilhosas...Partilhar assim, vale a pena.
Já lhes expliquei como vou trabalhar na sexta feira, na outra turma, vão assistir, mas já melhoraram algo: em vez de dizer, vamos ver quantas erraste, é mais correto dizer, vamos ver quantas acertaste. É bem verdade, os novos Programas sugerem sempre algo pela positiva, evidenciar o que o aluno faz de certo e não o contrário. Faço isso, o melhor que consigo, mas nem sempre nos sai a palavra certa...e foi bom ter-lhes antecipado a aula...assim, é mais uma coisa que farei melhor.
O 6ºD está a selecionar e/ou escrever um texto novo e vão ilustrar esse texto, em jeito de livrinho...Tenho já alguns, sobretudo textos. A maioria escreveu um novo, por isso, não tenho tido "mãos a medir", para os melhorar e devolver, antes que os alunos possam concluir o trabalho, outros escolheram textos anteriores, também da sua autoria, alguns até foram buscar textos do 5ºano, que fizeram comigo e...é isso que me dá prazer...vou partilhá-lo com estas duas estagiárias...Vê-se bem que serão profissionais de sucesso, pois vibram com este contacto com os alunos.
PS:

Ainda outra ideia...de seguida, fui para o 5ºA...a Débora só queria saber o que tinha a caixa...prometi que vou experimentar com a turma deles e que ficasse a imaginar o que seria "dar asas à imaginação"...Já estão ansiosos por essa aula!

3 comentários:

Guilherme disse...

Encontrei este blogue por acaso, quando pesquisava uma tradução do francês. Ao ler este texto pensei que para ser professor tem mesmo que se gostar muito da profissão. Ao contrário do que muitos pensam, não é fácil e muitas vezes ingrato. Gostei da maneira como se referiu às estagiárias de outros tempos. Não haverá hoje gente assim, com paixão à profissão? Como pai gostaria muito de que as minhas filhas fossem educadas por professores assim. Parabéns e continue a gostar do que faz!

Isabel Preto disse...

Obrigada, pelas suas palavras. De facto, desde pequenina que foi este o meu sonho: estar rodeada de crianças e ajudá-las a aprender.

Isabel Preto disse...

Ah...e felizmente, ainda há muitas professoras assim...lamento aquelas que são professoras "sem alma" e paixão.
Obrigada, pelo incentivo.

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"