"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

13/02/14

Lenda dos irmãos de Berlim

Diz-se que em Berlim uma rainha deu à luz dois lindos gémeos: Benjamim e Duarte, porém eram muito diferentes na sua personalidade, conforme se veria à medida que foram crescendo.
Por causa dessa diferença de carácter, Benjamim tornou-se príncipe e Duarte foi expulso do castelo, por ter desonrado a família. Este jurou vingança!
Conta a lenda que, alguns meses depois, correu a notícia de que a família real teria sido morta e...adivinhem por quem? Sim, isso mesmo, por Duarte que decidira vingar-se.
Durante dez anos, Duarte foi feliz e tranquilo com sua mulher, numa aldeia desconhecida.
Dizia-se que todos os dias ao por do sol, aparecia por aquelas bandas um monstro de pelagem vermelha , com hastes e dentes enormes, com poderes sobrenaturais, cujo nome era Benjamim!
Pois é, o tal monstro era o príncipe Benjamim, que procurava Duarte!
_ Aqui, estás tu!
-Não pode ser, és o meu irmão!!!
Duarte nunca tinha visto tal coisa, o tal monstro de que falavam...
-Raptarei a tua mulher e teus filhos...Quanto a ti, matar-te-ei e hei de ressuscitar-te vezes e vezes sem conta, para o teu sofrimento ser eterno!!!
-Por que nos mataste, sabendo que te traríamos de volta?
-Fazes ideia do quanto é difícil ser gozado por todos? Fazes ideia do quanto é difícil suportar o gozo dos outros?
-Não e nem quero saber! Tu, Duarte Nicolas Franklin, vais ser condenado à morte e irás pôr o nome de Berlim a esta cidade.
Duarte não teve outro remédio, senão cumprir o que lhe mandavam!
Benjamim, o príncipe, ficou aprisionado num castelo, onde ainda inferniza a vida de Duarte...
Quem por lá passa, ouve gritos de desespero e choros contínuos...ninguém se atreve a entrar no castelo, pois dizem que se alguém se atrever...sofrerá o mesmo castigo do príncipe!


Leonel, 7ºF

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"