"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

30/04/15

Desafios...

Um animal veloz foi a uma festa sem ser convidado
O anfitrião esperava que ele fosse, para se vingar
Mas o espertalhão ia mascarado
Ele foi "apanhado", mas da festa saiu ileso.
Qual é a fábula?

Inês Maia, 7ºB
Dois animais têm uma ideia
Certo dia decidem trocar de lugar
Não gostaram da ideia de inverter os papéis
E, por isso, cada um regressou aos seu lar.

Diogo Guimarães, 7ºB
Eram dois animais muito iguais
Mas com vidas diferentes
Um gostava de ver as luzes
Outro as estrelas
Mas um dia decidem trocar
Mal sabiam o que iam encontrar.

Carolina, 7ºB\

29/04/15

E por vezes...

E por vezes os amigos são falsos
E por vezes os amigos são mentirosos
E por vezes os amigos que foram bons
Nunca mais são os mesmos E por vezes


Destroem o nosso coração
Em mil pedaços
E por vezes fingem que está tudo bem
E por vezes trocam as amizades

Por bens materiais
Dinheiro, fama e luxo e
Até pelo seu ego


E por vezes sorrimos com eles
E por vezes trocam isso tudo
Por nós


Gabriel, 7ºE
E por vezes cada onda um sonho
E por vezes uma prancha vale muito
E por vezes enrolar-me não é tudo
Num grande oceano violento é tudo E por vezes


Sempre que mergulho
Novas ideias surgem
E por vezes o mar para mim é tudo
E por vezes na areia sou o rei dos castelos

Grandes ondas são rápidas
Mas pequenas são lentas
E em mar alto os peixes assusto

E por vezes o Hawaii não é muito
E por vezes a Califórnia é muito
E para mim o tudo é sinónimo de surf


Rafael A., 7ªE
E por vezes devemos confiar desconfiando
E por vezes acreditar duvidando
E por vezes com os erros aprender
Em vez de ceder E por vezes

Devemos acordar felizes
Adormecer a sorrir
E por vezes não nos arrepender
E por vezes pensar no porquê de acontecer

O que vivemos é uma
Lembrança para o futuro
Por vezes dor no presente

E por vezes passarão dias e anos
E por vezes tentamos tirar da cabeça
O que não podemos apagar do coração

Soraia F. 7ºE

27/04/15

E por vezes...

E por vezes amo quem não me ama
E por vezes não sinto o que sinto
E por vezes rio por fora e choro por dentro
E por vezes complico o que é simples E por vezes

Não vemos o que está tão perto
E por vezes falo sem pensar
E por vezes pensamos o que não é verdade
E por vezes os sentimentos são confusos

E penso e volto a pensar
Já não sinto já não amo
Parece que nada faz sentido


E por vezes falo sem razão
E por vezes os amigos parecem inimigos
Que nos roubam a amizade E por vezes


Nicole, 7ºC
E por vezes o tempo passa
E por vezes o tempo pára
E por vezes sinto o tempo a passar 
Outras vezes como ele a voar E por vezes

Sonhamos e o mundo alcançamos
Parece que voamos no sonho
E por vezes sonhamos com ideias
E por vezes em tom de brincadeira

E temos prazer em o fazer
Pois sonhamos com algo que não podemos ter
Mas há alguma vontade no querer que nos faz fortalecer

E por vezes acreditamos
E por vezes conseguimos
Alcançamos o impossível e voamos

André, 7ºC
E por vezes a alegria pode-se tornar tristeza
E por vezes a riqueza em pobreza
E por vezes pensamos que sorrimos
Mas choramos E por vezes

As coisas são diferentes
Quando as pessoas não são doentes
E por vezes ficamos tão contentes que gritamos
E por vezes lembramo-nos de momentos deprimentes
Mas ultrapassamo-los

Mas quando as vemos
As coisas que tememos
Claro que nos assustamos

E por vezes
E por vezes as coisas que escrevemos
São as que sentiremos.

Francisco e Soraia, 7ºB




24/04/15

E a escrita também surgiu no 7ºB

E por vezes as cores são brilhantes
E por vezes algumas deslumbrantes
E por vezes levam-nos a lugares distantes
Onde ninguém chegou antes E por vezes

Muito elegantes
 As velas coloridas
E por vezes que nos deixam expetativas
E por vezes são muito extrovertidas

Cores claras, cores escuras
Na natureza tudo existe
e a beleza persiste

E por vezes as cores alegram-nos a alma
E por vezes com estas cores de encanto
É preciso calma, no entanto

Eliana e João, 7ºB

E por vezes temos de pensar que partiu
E por vezes temos de ser fortes
E por vezes esquecer o que sentimos
Para fingir ser feliz E por vezes


Lembramos os momentos que passámos
E tentamos pensar que conseguimos viver sem ti
E por vezes olho para uma moldura a pensar que estarias aqui
E por vezes lembramos que por vezes


Chegava a casa e íamos brincar e às vezes
Contar-te segredos
Porque sabia que me ias escutar


E por vezes gostava que estivesses aqui
E por vezes penso que o melhor foi ires em paz
Sem sofrimento, sabendo que ias olhar por mim

Bruna, 7ºB 




E por vezes o sol nasce
E por vezes o sol põe-se
E por vezes nasce e não é para todos
Uns têm sorte e outros não E por vezes


Repentinamente a sorte muda
Num segundo altera-se tudo
O sol brilha em cada um
E por vezes sentimo-nos sortudos


Depois da tempestade
Chega a bonança
A vida é um jogo de sorte e de azar


E por vezes desanimamos
E por vezes surpreendemo-nos
E descobrimos que a felicidade vale mais que o azar

Heloísa e Gervágio, 7ºD

E por vezes as melodias são infinitas
E por vezes o som desliza no vento
E por vezes como folhas de outono
Esvoaçam pelo ar  E por vezes

A letra de uma canção é o azul do mar
E por vezes as letras são ternurentas
E por vezes  até mesmo como um abraço
Como um beijo ou um suspiro

E por vezes o coração bate como uma canção
E por vezes ao colo de uma paixão
Somos embalados na canção.


Carla e Ana Luísa, 7ºD


E por vezes temos aqui um passarinho
E por vezes vem comer pão na nossa mão
E por vezes canta enquanto lhe damos pão
É lindo E por vezes

Quando acaba o pão
O passarinho pode tornar-se leão
E por vezes ficamos sozinhos
E por vezes ficamos sem o passarinho

Se lhe voltares a dar pão
O passarinho vai voltar
Deixará de ser leão e para ti irá cantar


E por vezes vais abrir os olhos
E por vezes vais perceber a razão
O passarinho é teu amigo e precisa que lhe dês pão

Diogo Cardoso e Rafael, 7ºD

E por vezes o amor bate à porta
E por vezes o amor é maior que a amizade
E por vezes quando precisamos o amor já não existe
E às vezes não é para todos E por vezes

As portas tanto abrem como fecham
Ao verdadeiro amor
E por vezes é traiçoeiro se não é verdadeiro

Quanto maior a distância
Mais forte o amor pode ficar
Para um dia o amor reencontrar

E por vezes o amor é inconstante
E por vezes na nossa mente
O amor acontece de repente

Diogo Maldonado, 7ºD

O tempo

E por vezes o tempo vai
E por vezes o tempo vem
E por vezes o tempo fica
O tempo pára por vezes

O tempo fala
O tempo cala
E por vezes o tempo chora
E por vezes o tempo acalma

O tempo ajuda
O tempo não ajuda
O tempo volta

E por vezes o tempo alegra
E por vezes o tempo entristece
O tempo ilumina


Jersinilza, 7ºE


E por vezes quando já passaram meses
E por vezes esses meses foram anos
E por vezes tudo o que pensamos
Não era verdade E por vezes

Quando fazemos o que não queremos
Sem querer voltamos a fazê-lo
E por vezes pensamos que sabemos
E por vezes não sabíamos o que pensávamos


Quando pensamos que tudo já acabou
Voltamos a pensar e
 Ainda nem começou


E por vezes lembramo-nos do que fizemos
E por vezes arrependemo-nos
De o ter feito


Rafael Martins, 7ºE

23/04/15

E por vezes...

E por vezes pensamos que não conseguimos
E por vezes pensamos que somos fortes
E por vezes nada pensamos
Porque pensamos que não importa E por vezes

Pensamentos são como andorinhas
No final do verão
E por vezes pensamos que pensamentos são inúteis
E por vezes pensamos que os pensamentos não prestam

Mas pensamentos são tesouros
Cada um tem o seu
Muitos pensam que não o têm mas enganam-se

E por vezes pensamos que pensamentos são úteis
E por vezes pensamos que pensamentos são ouro
Mas muitas vezes não pensamos que cada um tem o seu pensamento


Flávia, 7ºD


E por vezes...

E por vezes a mentira é maior que a verdade
E por vezes verdades são mentiras
E por vezes não são nada
São apenas palavras no meio da escuridão E por vezes


São um sufoco que nos impedem de respirar
Mesmo quando sabemos que nos podem magoar
E por vezes é chuva que demora uma eternidade a secar
E por vezes são manchas que devastam o nosso coração

São como um trovão que penetra nas nuvens do céu
São como montanhas esquecidas no tempo
Que como o vento abalam as nossas memórias

E por vezes visíveis ou invisíveis
E por vezes recordamos certos momentos
Que por um triz não nos fizeram uma cicatriz

Carlos e Carla, 7ºD

E por vezes...

E por vezes o dia é alegria
E por vezes a noite é tristeza
E por vezes sentimos coisas
Que nos trazem dor E por vezes
Encontramos em nós o que não queremos encontrar
No meio da noite que nos vem atormentar
E por vezes fingimos que sabemos o que não sabemos
E por vezes fingimos que não sabemos o que sabemos
Ao tomarmos o gosto de "jogar"
Ao sairmos não conseguimos parar
No meio da noite que nos vem matar a pensar
E por vezes sentimos que temos de chorar
E por vezes aquela sensação de tristeza no ar
Aquela expressão vazia que nos vem acalmar
Guylherme e Sara, 7ºC

E por vezes...

E por vezes chateamo-nos
E por vezes choramos
E por vezes gritamos
As tristezas E por vezes
Encontramos a alegria
Às vezes escondida
E por vezes encontramos um sorriso
E por vezes esquecemos
O tormento e o sofrimento
A vida feita de momentos
Felizes infelizes
E por vezes choramos
E por vezes gritamos
Encontramos a alegria escondida
Mariana e Francisco, 7ºC

Texto expositivo...

No poema "Pedra Filosofal", o autor fala sobre a importância do sonho na vida das pessoas.
Ao longo do poema, apresenta-nos alguns feitos, que nasceram do sonho de algumas pessoas: a passarola voadora, os descobrimentos portugueses, que criaram um reino maior, o aparecimento da televisão, a ida a Marte.
No poema, os sonhos são apresentados como o motor que move as pessoas a ir cada vez mais longe e, por isso, "o sonho comanda a vida!"

7ºD

E por vezes...

E por vezes os nossos sonhos são mentiras
E por vezes realidade
E por vezes ficamos contentes
Com as coisas fantásticas que vivemos E por vezes

Sorrimos e crescemos
Unidos e felizes
E por vezes ficamos tristes
E por vezes choramos

A vida é feita de momentos
Umas vezes rimos
Outras vezes choramos

E por vezes apetece sonhar
E por vezes fantasiar
E acreditar que podemos voar

Rafaela e Ana, 7ºC

08/04/15

O sonho comanda a vida...

Partindo da apresentação do poema " Pedra Filosofal" de António Gedeão, falámos sobre a importância da capacidade de sonhar, fizemos a planificação de um texto expositivo e, posteriormente, os alunos redigiram textos. 
Deixo-vos alguns do 7ºE,  que me deixaram orgulhosa, neste regresso à escola, na reta final. Sinto que muito mais do que lhes transmitir conhecimentos e os levar a descobrir saberes, os contagio com esta minha capacidade de nunca desistir e de...sonhar.

A meu ver, este poema mostra que algumas pessoas duvidam que sonhar é importante, mas eu sou de opinião de que o sonho nos faz crescer, aumentando a nossa autoestima. 
Se não sonhássemos, por esta altura, não poderíamos estar em casa e desfrutar dos avanços da ciência e tecnologia, nomeadamente da televisão, dos jogos, nos aparelhos eletrónicos, da internet...
Posso concluir que se nós sonharmos e acreditarmos, nós conseguiremos alcançar o que quisermos. Os sonhos fazem parte das nossas vidas e ajudam-nos a evoluir.

Tiago


Os sonhos mudam o mundo
Se não fossem os sonhos, não teríamos o que temos, não seríamos o que somos e não havia ideias tão boas...
A título de exemplo, pensemos nos astronautas, que só desenvolveram e seguiram o seu trabalho, porque tinham um sonho. Se não fossem eles, não saberíamos o que sabemos hoje sobre o Universo, se calhar nunca teríamos ido à Lua.
As pessoas que sonham, normalmente, chegam sempre mais longe que as outras, porque impõem objetivos a si mesmos e esforçam-se para conseguir alcançá-los.
Sonhar faz bem e ajuda-nos a melhorar a vida e o futuro.

Rafael


O sonho comanda a vida, diz-nos o poema. Pois bem, sonhar faz-nos chegar a diversos mundos, por vezes, a ideias estapafúrdias e sorrisos constantes.
Ao sonhar, saímos deste mundo, da realidade e vivêmo-la como queremos.
A partir do sonho, somos felizes, pois voltamos atrás no tempo e planeamos, de certa forma, o nosso futuro.
Com os sonhos, ganhamos coragem, pois neles, somos invencíveis, não vamos abaixo, passamos os nossos limites e vemos tudo de forma positiva, na brincadeira, como queremos que seja a vida real.
Enquanto que no "Agora" , nem sempre conseguimos fazer coisas simples, nos sonhos conseguimos voar.
Sonhar é ser alguém, é acreditar, imaginar e viver...é planear...É ser feliz.

Soraia


Eu defendo que o sonho comanda a vida, sendo uma ideia positiva, que visivelmente aumenta a nossa moral e a nossa criatividade.
Aqueles que não sonham, não evoluem.
Na minha opinião, os sonhos dão origem aos nossos projetos e ajudam-nos, evidentemente, a alcançá-los.
Posso referir exemplos de homens que sonharam e criaram projetos espantosos, como Da Vinci. Ele tinha um sonho e concretizou-o, inventou a passarola voadora, com o seu desejo de voar.
O meu objetivo ao redigir este texto é mostrar às pessoas que os sonhos são o ponto de partida para o desenvolvimento, a mudança, são eles que nos fazem alcançar objetivos e nos fazem evoluir.
Graças a pessoas capazes de sonhar, o mundo está cheio de invenções e de novas ideias, novos sonhos por criar e surgir.
Este é o modo de evolução da humanidade.

João



Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"