"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

29/05/16

A propósito de textos de opinião...



A Família é um bem precioso na vida de qualquer criança, seja essa família de “sangue” ou não.
Nesta temática, o que mais importa é o amor, o carinho e o afeto.
É óbvio que a família mais próxima são os pais, que merecem todo o respeito e o carinho dos seus filhos.
Considero que é na família que se constroem os nossos alicerces morais e intelectuais, que regem a nossa vida.
Na minha opinião, sem uma boa base familiar sólida, não haveria sucesso escolar, pois a participação ativa da família ajuda muito na aprendizagem, no aproveitamento e no desenvolvimento das crianças.
Considero que é importante que haja um interesse tanto da família como da escola, para apoiar toda e qualquer criança a atingir objetivos, delinear um futuro e planos de vida.
No meu ponto de vista, as crianças precisam de crescer num ambiente livre, onde possam brincar, mas é fundamental que haja regras básicas de comportamento, logo desde pequeninas. É aqui que a família entra, a educação começa em casa, onde a obediência e o respeito fazem parte da vida. Só assim, as crianças poderão, um dia, ter uma vida de sucesso.
Por último acho que os afetos que a família transmite são fundamentais. O amor, a atenção, o carinho são importantes para a tranquilidade e bem-estar.
Todas as crianças precisam de abraços, de ouvir histórias aconchegantes, de receber carinhos, de um tom de voz agradável, de sorrisos e, sobretudo, de ouvir, muitas vezes, que são amadas.
Para concluir, posso dizer que a família não nasce ensinada, constrói-se aos poucos, é o melhor “laboratório do amor”. Em casa, entre pais e filhos, pode-se aprender a amar, confraternizar, ser humildes e a saber o que é um ser humano com valores e princípios. A família é o bem mais precioso que todas as crianças deveriam ter.

                                                                                                                                 Rodrigo Aguiar, 5ºH

09/05/16

Um sonho diferente: Um Projeto


" Histórias de cá e de lá", um Projeto entre duas Escolas, a Dr. António Augusto Louro e a Escola Pedro Eanes Lobato.
 Desta parceria nasceu uma bela história. 



"Era uma vez um sonho infeliz, porque nunca tinha sido sonhado por ninguém! Ora um sonho, para ser feliz, precisa pelo menos de um sonhador.
A maioria das crianças sonhava com bonecos e heróis, mas aquele era um sonho diferente! As crianças tinham medo de o sonhar, com receio que se transformasse num monstro do armário ou num pesadelo ainda pior!
Havia naquele reino encantado, sonhos de todas as cores, para todos os gostos e feitios. Já quase todos os sonhos que se possam inventar, tinham sido usados, mas este, coitado, parecia não ter qualquer serventia…
Todas as noites, o nosso sonho se apresentava no Quartel dos Sonhos, mas era sempre dispensado! Que tristeza!"
Numa aldeia longínqua, havia um menino diferente mas não era por ser mais forte ou rápido… ele era tão diferente que quebrava as leis da diferença. Ele nunca sonhava, nunca!
No entanto, estava sempre a desejar que, numa noite, pudesse sonhar um sonho que fosse como ele: diferente.
Esta anomalia foi registada na Central do Quartel dos Sonhos e o alarme disparou.
-Alerta! Alerta!-gritavam todos os sonhos preocupados!
O chefe do Quartel dos Sonhos, ao observar tal registo e tamanha confusão, comunicou com o Sonho Infeliz, que viesse urgentemente, pois havia uma chamada para ele! O Sonho ficou muito surpreendido ao ouvir aquelas palavras. “Deu corda aos sapatos” e apresentou-se imediatamente no Quartel dos Sonhos.
No Quartel, o chefe já o esperava e transmitiu-lhe toda a informação necessária, para que este agisse o mais rapidamente possível. Talvez o nosso Sonho fosse a última esperança do menino.
O Sonho entrou na “nuvem táxi”, que já o aguardava. O condutor acelerou a fundo e, num abrir e fechar de olhos, o sonho chegou a casa do menino diferente.
Já passava das duas da manhã! A noite estava gelada, o Sonho estava a ter arrepios de frio, mas decidiu entrar na mente do menino.
Era um lugar extraordinariamente belo, onde as cores, a textura e o brilho eram de tal beleza que o sonho não se conseguia concentrar na sua função!
E agora, o que é que ele podia fazer? O nosso sonho estava completamente desorientado!
Ora o problema era que, na mente do menino estava escondido outro sonho que não permitia que este sonhasse. A razão para tal era que, inicialmente, ele também tinha querido dar-lhe um sonho inesquecível. Tendo falhado, não queria que ninguém o conseguisse fazer.
Ao detectar um intruso, este sonho sentiu-se ameaçado e resolveu raptá-lo. Entretanto, na central do quartel dos sonhos, deram pela falta do sonho enviado em missão especial e, lançando um alerta, resolveram procurá-lo.
Entretanto o nosso Sonho não desistira de se tornar um herói e de procurar a felicidade. Estava disposto a tudo para conseguir que aquele menino tivesse um sonho tão especial quanto ele.
Pela madrugada dentro, o Sonho Infeliz teve uma grande ideia! Começou a cantarolar baixinho, cada vez mais baixinho, uma canção de embalar. O Sonho raptor, lentamente, sentiu os olhos a ficarem pesados, até que adormeceu profundamente.
O Sonho diferente estava radiante, porque o seu plano dera certo. Tinha, agora, a oportunidade de se salvar e escapar, tinha, agora, a oportunidade de cumprir a sua missão. Não queria fracassar como o anterior e, palavra de Sonho, aquele menino iria ganhar o melhor sonho de sempre! Mas já nem isso era preciso, pois o menino sonhava que dois sonhos, na sua mente, lutavam, um fazendo o outro prisioneiro e este adormecendo o primeiro. Percebeu que o “essencial é invisível aos olhos” e que o Sonho Infeliz era um amigo para a vida.
O menino que nunca até ali tinha sonhado estava a ter sonhos magníficos com o seu novo amigo.
Na Central dos Sonhos, o chefe estava emocionado com o que via, sentia-se aliviado e feliz com a vitória do Sonho diferente. Desistiram de o procurar, pois ele encontrara o seu caminho, tornando-se indispensável e feliz.
O nosso Sonho encontrara um Sonhador.

                                               5ºH (Escola Dr. António Augusto Louro e Escola Pedro Eanes Lobato)


Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"