"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

20/12/09

Conto de Natal!

Antigo Conto de Natal!

Eu vi um camião cheio de árvores de Natal
E cada uma tinha uma história para contar,
O motorista colocou-as numa fileira
Esperando que as pessoas as viessem comprar.
Ele pendurou umas luzinhas brilhantes
E uma placa em que se podia ler
"ÁRVORES DE NATAL"
E em vermelho escrevia
"ÁRVORES DE NATAL PARA VENDER"
Ele serviu-se de chocolate quente
Numa garrafa térmica fumegante,
E assim começou a nevar
Enquanto uma família estacionava esfuziante,
Uma mãe, um pai, e um menino
Pararam o carro, rapidinho
Vieram, caminhando, e começaram a procurar
A perfeita árvore para se decorar.
O garotinho ia à frente,
com seu olhar reluzente, a exclamar:
"Elas têm cheiro de Natal, mamã!
Sinto o cheiro de Natal em todo lugar."
"Vamos comprar uma árvore de quilómetros de altura!
A maior que pudermos encontrar!
Uma árvore que encoste no tecto!
Uma que nem se possa carregar!"
"Uma árvore tão grande
Que até mesmo o Pai Natal, quando olhar,
Vai se admirar:
“Esta é a árvore mais bela
Que já vi neste Natal.
Natal Bem-vindo
Natal de Deus
Na terra caindo
A graça dos céus.
Natal que nos traz paz
Na alma a esperança
De uma inocente criança.
Natal de luz
De pureza e verdade
Onde é ao Jesus
Sol da humanidade.
Dá ao mundo Senhor
Menino Celestial
Um eterno Natal
De muita Paz e Amor.
Tempo novo que nos traz
Tal como uma criança,
Ao coração a doce esperança
De um Mundo de Amor e Paz.
Mundo de fúria mansa,
Nos valores que tanto preza,
A justiça bem pouco pesa,
No prato justo da balança.
Se o homem no tempo reza,
Por melhores tempos afinal,
Que tempos novos se veja
Mas, nunca tempo algum seja
Sem ser tempo de Natal.

Apresentado por Abdul, 6ºK

1 comentário:

Ana Patricia Lima disse...

Muito engraçado este conto!

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"