"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

08/02/10

As três fábulas!

Estavam duas Rãs à beira de um charco quando a mais nova comentou:
Um Galo comilão andava pela quinta à procura de comer. De repente, viu uma coisa a brilhar no chão.
Certo dia, o Pavão foi queixar-se à deusa Juno:
- Olá! Isto é para mim – pensou ele enquanto desenterrava o que encontrara.
- Comadre, hoje vi um monstro terrível: era maior do que uma montanha, tinha chifres e uma longa cauda.
- O que viste foi o Boi do lavrador – esclareceu a Rã mais velha. E, além disso, não é assim tão grande… Eu posso ficar do tamanho dele. Ora observa.
Mas o que era aquilo? Nada mais, nada menos, do que uma pérola que alguém perdera. Desdenhoso, o Galo murmurou:
- Tenho uma plumagem maravilhosa, mas a minha voz não se compara à do rouxinol. Por que não me concedes uma voz igual à dele?
A deusa recusou mas o Pavão insistiu:
Dito isto, começou a inchar e a esticar-se muito, muito …
- O Boi era tão grande como eu? – perguntou ela quando já estava tão grande como um Burro.
- Sou a tua ave favorita. Por que não me dás o que te peço?
- Ó, muito maior! – respondeu a jovem Rã.
Então a Rã mais velha respirou fundo e inchou, inchou …até que rebentou.
- Podes ser um tesouro para as pessoas que te apreciam. Mas, no que me diz respeito trocava de bom grado uma espiga de milho por um punhado de pérolas iguais a ti.
Já um pouco aborrecida com a conversa, a deusa respondeu-lhe:
- Deves agradecer o muito que já tens. Não podes ser o melhor em tudo!
A partir dos títulos: A rã e o Boi; O Galo e a pérola; O pavão e a Deusa Juno, os alunos descobriram as três fábulas, que se encontravam misturadas, num só texto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"