"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

31/03/10

Uma casa feita de sonho!

Leve como uma pluma, alta como uma torre, quente como um ninho, e doce como o mel, assim imaginei desde pequenina a minha casa.
Mais tarde, quando me encontrei só no mundo, como não tinha dinheiro, resolvi construí-la com as próprias mãos.
Fiz primeiro a minha casa de papel que era um material barato. E assim que ficou pronta, vieram todos os ventos da Terra e levaram a minha casa de papel, leve como uma pluma.
Fiquei sem casa. Mas não desisti. Pensei muito, e fiz então a minha casa à beira mar, com areia da praia, que é também um material barato.
Mal estava pronta, vieram todas as marés do mundo e levaram a minha casa de areia, alta como uma torre.
Deu-me vontade de desistir, mas eu precisava de uma casa, e sobretudo não podia desistir do meu sonho.
E resolvi fazer a minha casa de madeira. Cortei-a dos bosques com as próprias mãos. Ficou linda!... Escondida entre a folhagem.
Mas ainda mal a tinha acabado, vieram todos os fogos do Céu e queimaram a minha casa de madeira, quente como um ninho.
Chorei sobre as cinzas, como se chora uma pessoa querida que morreu. Mas mesmo assim, não desisti. Pensei muito, e resolvi fazer a minha casa de açúcar.
- De açúcar? Mas açúcar não é um material barato!
- Pois não! Mas eu precisava duma casa, e sobretudo não podia desistir do meu sonho, não acham?
Trabalhei, lutei, passei fome, para juntar todo o açúcar necessário. E quando a minha casa estava pronta - eram de açúcar as paredes, o chão, o tecto, os móveis, as portas e as janelas. Vieram todos os bichos da terra e devoraram a minha casa de açúcar, doce como o mel.
Fiquei sem casa E desisti de a construir com as próprias mãos.
- E onde mora?
- Onde moro eu? Sei lá! Vou pelo mundo. Aqui, além, no bosque, à beira mar
- Então não tem casa?!
- Tenho, sim! Eu podia lá desistir do meu sonho!
Resolvi imaginá-la. Num sítio onde não chega o vento, nem o mar, nem o fogo, nem os bichos da terra.
Fiz a minha casa com o meu próprio sonho. Ficou linda! Leve como uma pluma, alta como uma torre, quente como um ninho, e doce como o mel...
Ricardo Alberty

5 comentários:

maria cristina disse...

Olá!

Meu nome é Cris e quero compartilhar uma notícia muito importante para as pessoas envolvidas com a questão do autismo! http://bit.ly/bMkYx9

Vale a pena ler e divulgar!

Um grande abraço!

Cris Santos

Sara Letícia disse...

Gostei muito de ler este livro, que me mostrou como o sonho é importante e nos leva a ir sempre mis longe. Se acreditarmos, conseguimos.
O livro fala de um poeta, que foi construindo várias casa, ao longo da sua vida, que sempre desapareciam, até que um dia construiu uma casa de sonho, na sua imaginação, que nem o vento, nem o mar, nem os bichos da terra podiam destruir.
Conseguiu assim provar que o sonho "comanda a vida" e, se quisermos, tudo conseguimos...até uma casa leve como uma pluma, quente como um ninho, alta como uma torre e doce como o mel.

Rita Sofia disse...

Também achei a história linda, porque nos mostra que na imaginação, tudo é possível e chegamos onde queremos.

Maria da Luz Borges disse...

Obrigado amiga, pelo carinho e pelo apoio.
E... Isabel, não sou nada de especial. Sou é teimosa, curiosa e muito apaixonada pela minha profissão. Tento seguir as pegadas de um grande mestre,Sebastião da Gama,que me ensinou que:"Para ser professor, também é preciso ter as mãos purificadas. A toda a hora temos de tocar em flores. A toda a hora a Poesia nos visita." e que afirma que: "O que eu quero principalmente é que vivam felizes". E se eles estão felizes, então eu já ganhei o meu dia. Por isso Isabel, não sou nada de especial... Tenho é a sorte de ter a melhor profissão do mundo: EDUCADORA de INFÂNCIA!!!
Boa páscoa
Luz
PS- Daqui a um bocadito já respondo ao teu post. Quero lê-lo com cuidado e depois já te respondo!
Luz

Maria da Luz Borges disse...

Que belo texto! E que verdade!
É que a nossa casa, se não for construída sobre um grande sonho nunca conseguirá ser "leve como uma pluma,quente como um ninho, alta como uma torre e doce como o mel", e todos nós merecemos uma casa assim!
Boa Páscoa nesta tua nova casa e um beijinho para as tuas princesas!
Luz

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"