"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

30/09/11

Joãozinho e Maria perdidos na floresta

(...) Joãozinho e Maria, engaiolados pela bruxa, que de repente planeava fritá-los em azeite fervente.
O que a bruxa não esperava era que o seu gato entregasse a Maria a chave e fugisse!
Entretanto o gato pegou numa folha de papel e escreveu:"Ela está sempre à espera!"
Joãozinho e Maria olharam um para o outro admirados.
-Como é que ele fez aquilo?- perguntou Maria.
-Eu não sei!!!
A bruxa pegou numa G3 e começou a disparar para o ar.
Joãozinho e Maria muito assustados tiraram um canhão ( que por acaso estava dentro do pequeno bolso do Joãozinho ).
Maria pegou no seu capacete de ferro...e derrotaram a bruxa, nesta história meio atabalhoada e sem grande sentido!

O gigante e o feiticeiro...

Era uma vez um feiticeiro chamado Merlin, ele vivia num reino, chamado Camelot.
Do outro lado do rio, vivia um gigante.
Ele era um gigante muito mau, quase todas as noites de lua cheia, atacava Camelot e não saía do reino enquanto não conseguisse comida.
Mas um dia, Merlin irritou-se e foi ter com o rei e disse:
-Rei Artur já estou farto do gigante!!!
-Merlin, acalma-te, vamos fazer o seguinte, vamos organizar um exército de 5000 homens e assim o gigante não tem hipótese.
-Boa ideia, podemos podemos pedir ajuda aos Lusitanos que são 3000 soldados e assim ficam 8000 pessoas.
-Sim, isso são óptimas ideias.
Nisso um homem ouviu, foi contar ao gigante e o gigante chamou dezenas de companheiros, ao todo eram 700 gigantes.
No dia 30/09/1400 os soldados de Camelot invadiram a gruta do gigante, mas os 700 gigantes estavam no reino a destruí-lo.
Quando os soldados regressaram ao reino, havia sangue por todo o lado, corpos nos telhados, casa partidas e no final só sobreviveram 2500 pessoas, das 3500.
E um dos guerreiros disse:
- Aí está a resposta para que eles estavam na gruta.
-Pois é, mas eles semearam o terror... O REIIIIIIIII!!!!!!!!!
Foram ao castelo e o rei estava morto.
-NÃOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!
Foram novamente à gruta e lá estava o gigante que matou o rei, fizeram a guerra e os gigantes perderam, mas morreram muitos soldados com dignidade.
Só uma coisa hoje faz 611 anos que se passou esta história!!!

Patrick Silva 6ºD
Francisco Tavares 6ºD

Princesa dos ogres...

Princesa triste
Má e zangada
Rainha dos ogres
e não das fadas.

Ogre feio.
Mas com coração
Rei das fadas
e dos feiticeiros.

Quem desumano é
triste vive.
Um segredo vou contar-vos...
Eu amo a noite
e sou alérgica ao dia!

Márcia Rodrigues 6ºD
Joana Fragoso 6ºD

Cão ou...talvez não!

Ser professora dos mesmos alunos do ano anterior, neste caso dos alunos do 6ºA e 6ºD, permite ver a evolução de alguns alunos, o que me deixa orgulhosa, pois, de alguma forma, contribui para esta evolução. Claro que não me estou a referir aos alunos excelentes, mas sim a alunos que revelavam dificuldades imensas na construção de textos...O texto que se segue mostra uma evolução muito positiva de um aluno do ano anterior.

A propósito de histórias...era o título de um texto do manual. Pedi que escolhessem duas personagens e escrevessem em dez minutos uma história, que tivesse a ver com o que estávamos a ler no manual...Cá vai:

"Era uma vez...assim começam as histórias antigas...um ogre! Vivia sozinho e sem dinheiro! Encontrou uma casa, que parecia abandonada e pensou que era ideal para viver.

Certa noite, durante o sono, foi subitamente acordado por barulhos estranhos e medonhos! Que seria? Cheio de medo, foi espreitar à porta e...nada mais viu que um simples cão! Exclamou:

-Afinal és tu, um cão?!

O cão ladrou duas vezes, de forma estranha, o que levou o ogre a trancar-se dentro de casa, mas...ao voltar-se deu de caras com...o cão! Indignado e cada vez mais assustado, perguntou:

-Como apareceste aqui, dentro de casa, se estavas lá fora e eu me tranquei cá dentro?! Como é possível?!Como entraste, com portas e janelas fechadas?!

Nesse instante, o cão transformou-se num terrível feiticeiro e o ogre percebeu tudo!

-Esta casa abandonada é minha!-gritou o feiticeiro com voz medonha.

-Dá-me ao menos cinco minutos, para arrumar as minhas coisas-implorou o ogre.

-Desaparece daqui, ou frito-te em azeite fervente!

O pobre ogre, coitado, não teve outro remédio se não fugir a sete pés. Por onde andará? Quem sabe, pois o pobre ogre vivia sozinho e sem dinheiro! Se o virem por aí, ajudem-no...é um ogre, mas debaixo daquela aparência feia...está uma criatura bondosa...apenas solitária."

Dénnis e António: trabalho de pares, 6ºA

26/09/11

Se eu fosse um cão vadio!

Hoje, na minha Direção de Turma, alguns alunos surpreenderam-me ao ler um texto elaborado em casa, pois sendo do 5ºano, não se saíram nada mal...embora, como em todas as turmas, nem todos tenham cumprido com a tarefa.
Deixo-vos com dois textos: um da Inês, que tem imenso jeito para poesia e lê com tanta expressividade, que me deixou encantada; outro do Carlos, que chegou há pouco de Angola e está cá a viver com os tios. É um homenzinho, que sente falta dos pais, mas diz que aqui terá um futuro melhor...e eu acredito, pois parece muito empenhado e quem luta...consegue.
" Se eu fosse um cão vadio,
ladrava, ladrava, para o ar
E ninguém
Me conseguiria parar!
Se eu fosse um cão vadio,
De dia nadava no mar...
E à noite
Passeava ao luar.
Andava de porta em porta
À procura de alguém
Com quem ficar...
Se não a encontrasse, teria de me desenrascar.
Alimento não me ia faltar!
Fazia um beicinho fofinho
Para as pessoas
Conseguir encantar.
Teria dentes afiados
Abria a boca...iam ver
Como cão vadio que era,
Tinha unhas para roer!
Estava sempre a fugir do canil
Gostava da vida que tinha
Perguntavam-me os outros cães
Se podiam ter uma igual à minha!"
"Sou um cão preto e castanho de orelhas compridas e grandes!
Vivia na casa dos meus donos, mas com o tempo fui crescendo e tornei-me maior...Como a casa era pequena, puseram-me fora de casa. Lá fui eu todo triste, num dia em que chovia muito!
De repente, encontrei um cantinho e aconcheguei-me...No dia seguinte, acordei e, ao atravessar a estrada ia sendo atropelado, mas o senhor que ia ao volante, travou de repente e eu lá passei para o outro lado.
Comecei a passear e lá ao fundo avistei uma praia muito bonita, com rochas, búzios muito bonitos...fui para lá e dei um belíssimo mergulho e fiquei a nadar um pouco.
Mais tarde, continuei o meu passeio...por trás de mim, ouvi uns passos, virei-me e vi uma senhora que se encantou comigo e me agarrou, levando-me com ela para casa. Essa senhora deu-me muito carinho e a partir daí, os meus dias foram sempre bons."

Desabafos de um caderno diário!

-O meu dono é bondoso e trata-me bem. As lições estão em dia e com cores. Às vezes, distrai-se e lá me agarra e começa a rabiscar-me, mas quando os desenhos são giros não me importo muito...Pois, na maioria das vezes, até me trata bastante bem: letra bonita, apontamentos em dia, cores diferentes nos títulos ,tudo, tudo, tudo... mas ,às vezes ,trata-me mal,pois quando acaba a aula agarra-me com toda a força e mete-me dento da mala. Sempre apressado para o intervalo! E quando chegamos a casa mete-me na prateleira com todos os outros por cima de mim. Gostava que me ligasse mais e fosse mais estudioso! Mas apesar disso, é um bom dono!

Telmo, 6ºA

25/09/11

Memórias de um cão vadio!

Eu já fui um cão vadio e fazia de tudo para sobreviver! Não era fácil: tinha de comer restos de comida, procurar nas lixeiras e, às vezes, nem sequer comia...Passava noites inteiras cheio de fome!
Nas noites mais frias, ouvia os cães uivar e, na verdade, eu sentia medo e escondia-me.
Os cães mais fortes e maiores perseguiam-me e eu fugia assustado...Mas, apesar de tudo, quando olhava para o céu, via a minha estrela, que me acompanhava para todo o lado...Só que, de manhã, a estrelinha desaparecia e eu voltava a sentir-me sozinho, sem saber para onde ela ia.
A coisa mais linda que eu já vi na vida, é o pôr do sol. É magnífico!
Hoje...sou feliz, encontrei uma família que me trata bem.
Mariana, 6ºA

19/09/11

Uma turma nova: o 5ºA!

Se eu fosse um objeto, seria um livro, porque gosto de livros, pois convidam-me a sonhar e a viajar sem sair do lugar...(Francisco)
Se eu fosse uma flor, seria uma planta carnívora, porque elas controlam os insetos...(Estevão)
Se eu fosse uma cor, seria o amarelo, porque é a cor do sol...(Raquel)
Se eu fosse uma cor, seria o azul bebé, porque azul é a cor do mar tão bonito e tão fresco...(Inês)
Se eu fosse um animal, seria um pássaro, porque poderia viajar pelo mundo...(Felipe)
Se eu fosse uma cor, seria o vermelho, porque o Benfica é campeão...(Daniel)
Se eu fosse uma letra, seria a letra N, porque é a minha letra favorita e nove é o meu número. (Stephan)
Se eu fosse uma flor, seria o dente de leão, porque é amarela...(Daniel Guerreiro)
Se eu fosse um número, seria o dez, porque é a minha idade...(André)
Se eu fosse um animal, seria um gato, para receber muitas festinhas...(Tiago)
Se eu fosse um animal, seria uma águia, porque é o símbolo da minha equipa...(Filipe)
Desejo ser um jogador do Barcelona, porque é a melhor equipa do mundo...(Fábio)
Se eu fosse um objeto, seria uma borracha, para apagar as coisas más do mundo...(Maria Inês)
Se eu fosse um animal, seria o golfinho porque é um animal lindo e meigo...(Bruna)
Se eu fosse um animal, seria um cachorrinho, para ter miminhos todos os dias...(Débora)
Se eu fosse uma letra, seria a letra T, porque gostava muito da minha antiga professora Teresa...(Bremer)
Adoro estudar, porque me ajuda a construir o futuro...(Ana Catarina)
Se eu fosse um animal, seria uma mosca, para ver tudo o que quisesse...(Iara)
Se eu fosse uma flor, seria uma margariga, porque tem um nome giro e cheira bem...(Inês Mateus)
Se eu fosse uma letra, seria o A, porque entra nas palavras: mar, paz e voar...(Nairlete)

18/09/11

Aventuras no século XIII

No século XXIII, mais conhecido pela era da revolução das Nails, uma top model chamada Lili, linda e maravilhosa, entrou numa casa-de-banho portátil, coisa rara, num acto de desespero.
De repente encontrou uma alavanca e disse:
- Deve ser o autoclismo.
Puxou para baixo e caiu num túnel, indo parar a uma aldeia.
Mascava a sua pastilha oportunamente e olhava em redor , até que avistou ,uma guerreira e um rapazinho e perguntou:
- Onde estou? Quem são vocês?
A guerreira respondeu:
- Eu sou uma guerreira, chamo-me Diana e este "caramelo" ao meu lado é o Miguel, um rapazinho do circo que é malabarista!
-AAAH!!! Eu sou a Lili super famosa top model. Não lêem revistas?
-Que revistas?- perguntou a Diana.
-Mas afinal em que século estamos?- desesperou a Lili.
-Estamos no século XIII - disse o Miguel e acrescentou:
-Puxei uma alavanca de uma casa-de-banho. Mas afinal qual é a vossa historia?
-Bem, a minha é simples, sou uma guerreira destemida que ia ser coroada cavaleira e o meu grande sonho é ser famosa
-Mm mm!!! E Qual é a tua rapazola?
- Eu sou um rapaz do circo, sou malabarista e queria abrir o meu próprio circo de sonho. Com confiança nas minhas capacidades tenho a certeza que vou conseguir.
-Que interessante, como é que eu saio daqui?
-Acho que há uma maneira. Temos de ir para a Terra dos Sonhos, uma terra distante.
Até lá, vamos passar por um labirinto com enigmas. Mas o mais assustador é que existe uma lenda em que fala de um Minotauro chamado Aníbal, de um urso gigante e de um guerreiro- respondeu Diana.
- E como é que lá chegamos. Não te atrevas a chamar um táxi odeio táxis prefiro limosinas. Podemos aproveitar e encontrar a melhor loja de Nails do mundo. Estou à procura dela há "montes de tempo".
-O que é um táxi,, uma limusina e uma loja de nails? Não te esqueças que estamos no século XIII. Por isso vamos de cavalo- disse o Miguel
-Óptimo adoro equitação- disse a Lili com ar sarcástico
Montaram os cavalos e partiram à aventura. Passaram dois dias até que chegaram a Gremlin... Estiveram alguns dias na aldeia e tiveram de partir novamente. Passado algum tempo depois de terem cavalgado muito, avistaram um labirinto:
- É ali!!!-disse a Diana.
No início havia três caminhos.
- Bem, acho que está na hora de nos separarmos- disse o Miguel.
-Olha, eu vou por ali, tu vais por aqui e tu vais por acolá- disse a Diana.
-Está bem, mas se eu rasgar o meu vestido ou partir os meus saltos, vocês pagam o arranjo!- exclamou logo a senhora Dona Lili.
Seguiram os seus caminhos. Primeiro vamos ver o que se passou com o Miguel:
o primeiro obstáculo que teve de atravessar foi... tambores.... ele o escolhido para percorrer o labirinto mais complicado. Estava quase a chegar ao fim quando um urso se pôs à frente dele:
-Olá urso, podes sair da frente , por favor?
O urso não respondeu.
-Olha o parvo do urso, que está aqui à minha frente e não apresenta razões por isso? Espera lá que vais ver- e o Miguel desatou a tirar bolas de dentro do bolso e atirá-las ao urso. Foi tipo Paintball e quando se foi embora o urso já estava K.O. Chegou ao fim. O obstáculo já estava vencido.
Agora chega a vez da nossa brava guerreira, que teve de puxar pela cabeça e usar a sua espada. Logo à primeira aparece-lhe um feiticeiro comum chapéu bicudíssimo:
-Olá feiticeiro queria perguntar-lhe se pode sair da minha frente educadamente. Não sei se sabe, mas eu não tenho muito tempo porque tenho de passar este labirinto para ajudar os meus amigos a concretizar os seus sonhos- disse a Diana.
O feiticeiro respondeu que a deixaria passar, se respondesse a um enigma:
-E que enigma?-perguntou Diana.
-Ora cá vai: como é que eu me chamo?
-Essa é fácil. Você chama-se ninguém, porque sabe, eu não o conheço, por isso só lhe posso dizer isso. E estranhamente o feiticeiro evaporou-se no ar. Foi andando até que encontrou um guerreiro, que a desafiou para um duelo.
Claro que ela ganhou e ainda disse:
- Finalmente derrotei um guerreiro a sério!!!
Cá estou eu a segunda Joana D'Arc!!!.
Gloriosa, continuou o seu caminho até chegar ao fim, onde se encontrou com o Miguel.
-A Lili onde é que está?
- Está no labirinto.
- Ai, mas quando é que eu posso ligar à Té? Não apanho rede nenhuma, mas qual é a deles? Sem telemóvel não faço nada.
Andou, andou a olhar para o telemóvel, tropeçou, enrolou-se no vestido, caiu e partiu a unha. Desatou a gritar:
-112, 112, chamem o112, parti a unha, AAAH!!!!.
Passados 5 minutos de gritos histéricos e choradeira, lá resolveu arranjar a unha, com um estojo de emergência que tinha na mala. Chegou ao fim. Encontraram-se os três a Diana e o Miguel disseram em coro:
-Onde estiveste?
-Problemas técnicos- respondeu a Lili. Andaram pelo menos, 5 quilómetros e encontraram outra máquina do tempo, perdida na Terra dos Sonhos. Mas antes que lá pudessem chegar, apareceu-lhes um Minotauro( lembram-se o Aníbal ) atravessou-se à frente deles e rugiu.
Fizeram que sim com as cabeças uns para os outros e disseram:
-Atacar!!!.
A Lili atirou um gancho que foi parar mesmo dentro do nariz do Minotauro, que parou de respirar. O Miguel atirou-lhe bolas e a Diana usou a sua espada. Derrotaram o Minotauro, foram para a máquina do tempo e foram para o século XXI.
Conclusão: a Diana apareceu na capa da revista " Damas e Cavalos" e tornou-se famosa. O Miguel viajou para uma terra distante e montou o seu circo de sonho. E a Lili encontrou a melhor loja de Nails do mundo e arredores, fez umas Nails de 6cm e viu uma senhora de idade a fazer umas de 7cm da Hello Kitty.

Este texto foi escrito no ano passado, quando eu era ainda do 5ºD.

Beatriz Calado, 5ºD
Joana Anselmo, 5ºD
Luís Pinheiro, 5ºD

Mas afinal como é que se escreve?!

1- O alfabeto passa a ter 26 letras, porque inclui mais três: K, W e Y. Vais encontrá-las em nomes próprios, símbolos internacionais, topónimos e derivados, nomes de origem estrangeira e derivados, unidades monetárias: Kant, Km, Washington, windsurf, kwanza.
2- Passas a escrever com minúscula, algumas palavras que escrevias com maiúscula inicial: meses do ano; estações do ano; pontos cardeais e colateriais; formas vagas de nomear pessoas: janeiro, maio, primavera,verão,norte, sudoeste, fulano...Nota: a maiúscula mantém-se nas abreviaturas e designação de regiões: SO, Europa de Leste.
3- Em alguns casos, podes escolher usar maiúscula ou minúscula:títulos de obras: “Chocolate à Chuva” ou “Chocolate à chuva”;Domínios do saber: Geografia ou geografia;Formas de cortesia: Senhor Doutor ou senhor doutor (Exm.ºSr. ou exmºsr.);Espaços públicos, templos ou edifícios: Rua do Carmo ou rua do Carmo; Santo António ou santo António.
4- Deixas de escrever as consoantes que não pronuncias.
É o caso das sequências:cc: leccionar/ lecionar
cç: acção/ ação


Nota: Alguns destes casos, obrigam a outras alterações, como acontece em: peremptório: perentório.
pç: adopção/ adoção
ct: exacto/exato
pt: óptica/ ótica
pc: excepcional/excecional
5- Algumas palavras são pronunciadas de duas formas. Nesses casos, podes escolher manter ou eliminar a consoante: característica ou caraterística; olfacto ou olfato, espectador ou espetador.
6- Elimina-se o acento:nos verbos crer, dar, ler e ver (e respetivos compostos), na 3ªpessoa do plural do presente do indicativo ou do conjuntivo: creem, deem, leem, veem;nas palavras para (verbo parar), pela (verbo pelar), pelo (do gato), polo (magnético),coa (verbo coar), pera (fruta);nas palavras graves com sílaba tónica no ditongo oi: heróico/ heroico; Tróia/ Troia.
7- Elimina-se o hífen no presente do indicativo do verbo haver seguido da preposição de: hei-de / hei de;nas palavras complexas quando o primeiro elemento termina em vogal e a palavra seguinte começa por r ou s, dobrando-se essa consoante: auto-rádio/ autorrádio; mini-saia/minissaia;nas palavras complexas, quando o primeiro elemento termina em vogal e o elemento seguinte começa por vogal diferente: anti-aéreo/ antiaéreo; auto-avaliação/ autoavaliação; co-autor/ coautor;na maior parte das locuções(conjunto de várias palavras que equivalem a uma só): fim de semana; cor de laranja; cão de guarda.
Nota: Deves manter o hífen se o primeiro elemento for uma forma reduzida, como acontece em : afro-americano.
Existem algumas exceções como:
mais-que-perfeito ou água-de-colónia.

17/09/11

Memórias de um cão vadio!

Valter, neste momento, estava sentado no meio da sala, com a mulher e os filhos e preparava-se para contar a história, a história que poderia revolucionar os corações dos nossos espectadores. Oiçam com atenção:
-Bem, meus filhos, sinto que estão preparados para saber o que é de mais importante na minha vida...fui outrora um cão vadio -disse Valter, lágrima a apontar no canto dos olhos, quiça de saudade ou das lembranças desse tempo. E acrescentou: Vadiava pelos canais de Veneza, aproveitava cada migalha de pão, porque estávamos em tempos difíceis. Portanto, o tio Charles, que era o meu melhor amigo, um dia propos:"Estar aqui a vadiar pelos campos fora, é uma chatice!  Vamos correr mundo e encontrar o nosso ninho"-dissera ele com essas mesmas palavras...E fomos!
Primeiro,até à França, onde nos juntámos com uma matilha de cães como nós e roubávamos dos outros para comer! Não me orgulho disso, mas tinha de sobreviver...Visto desta perspetiva, nunca podia ter ninguém, porque era ladrão...mas, mesmo assim, a vossa mãe escolheu-me e a tia Luna escolheu o tio Charles.
Mas...como amanhã é Natal, hoje ficamos por aqui! Deixemo-nos destes pormenores amorosos para outra altura. ndo, a tua mãe era cadela do rei de França, muito  seus donos, ela escolheu-me porque me amava e mesmo por ser ladrão, decidimos começar do zero e partimos para outro país com o tio e com a tia. Quando chegámos a Inglaterra, encontrámos esta mansão abandonada mãos à obra. Claro que sem a ajuda do avô Fred~, não teríamos conseguido tudo isto...Bem, mas agora que já sabem a minha história, vamos montar a árvore de Natal para amanhã.
-Sim, papá!-exclamaram os filhotes, orgulhosos de seu pai e entusiasmados com os preparativos da maior festa do ano.

 Joana, 6ºD


Confesso que já sentia saudades desta turma, tão especial, onde a escrita nasce do coração, de forma tão genuína...Vale a pena saborear estes textos!


09/09/11

Educação Especial: um grito de mudança!

"O convívio entre crianças com deficiência e sem deficiência, vai conduzir à educação na diferença, pois as que obtêm as aquisições, aprendizagens e desenvolvimento mais rápido vão aprender a respeitar as que têm mais dificuldades e limitações em alcançar os mesmos patamares ou similares, e as crianças com deficiência vão constantemente  receber estímulos por parte das outras que vão fazer com que a sua evolução seja significativamente melhor, e mesmo as pequeníssimas conquistas, serão grandiosas etapas respeitadas, valorizadas e aplaudidas pelo grupo. Acima de tudo vão descobrir entre si, no seu grupo social, que são todos diferentes uns dos outros e o mais importante é que todos, independentemente de se chamarem Sara, Francisca, Miguel ou um outro nome qualquer, podem divertir_se e interagir juntos, começando na família, na ama, na creche, relacionando-se bem, aprenderem muito e serem grandes amigos para a vida. "

Assim se pode ler num blog, que vos aconselho vivamente, pois este convívio é, cada vez mais, uma realidade.
Este ano, vou ser professora de um menino com Síndrome de Down e três autistas, isto, só na minha Direção de Turma...Vou recebê-los com "coração de mãe", porque estas crianças merecem melhorar e progredir...Tenho a sorte de ter duas filhas "normais", mas isso ajuda-me a ser ainda mais carinhosa com estes alunos tão especiais...e de todas essas crianças, com quem a minha vida se cruzou, guardo uma doce recordação e sinto-me "importante" por ter feito a diferença, ajudando-os a cresce e a dar mais um passo em frente.
Deixo-vos o link, para quem não conheça, do blog referido, onde encontrarão muita informação, testemunhos, força e coragem para "fazer a diferença", porque eles merecem! E já agora, conheçam um professor com Síndrome de Down...

http://gritodemudanca.blogspot.com/
http://www.rtve.es/alacarta/videos/television/profesor-con-sindrome-down/454111/?ref=nf

02/09/11

Tempo de recomeçar!

Vinham p'rá escola: a novidade.
E com uma estrela na mão direita
E os olhos grandes e voz macia
Ali chegaram para aprender
O sonho a vida a poesia.





  A todos os meus alunos...bom recomeço. Cá vos espero...de coração aberto!

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"