"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

09/11/13

Os quatro comandantes da cama voadora!

« Ernesto, Natália, Rufino e Heitor estavam decididos a atravessar o Oceano Atlântico na cama de Ernesto, que voaria suspensa por quatro enormes molhos de balões. Contudo surgiram logo imprevistos. Onde guardar tantos balões? E que fazer em caso de tempestade? Recorrendo à ajuda do Professor Maior, todos juntos vão embarcar numa viagem inesquecível, vivendo momentos emocionantes e descobrindo que tudo é possível e infinito com muita imaginação e vontade de sonhar...»
- Rufino! Eu avisei-te que eram balões a mais! És mesmo teimoso!- Refilou o Ernesto.
-Confesso que errei -confessou o Rufino- Mas vamos pedir ajuda ao sábio Professor Maior para nos ajudar com os possíveis percalços.
- Avante, rumo a casa do Professor Maior! Ele poderá ajudar-nos também a posicionar melhor os balões -disse Heitor.
E assim começou a aventura dos nossos quatro amigos, com um pouco de imaginação tudo se consegue. "Voaram" até a casa do sábio Professor Maior, que era uma casa um pouco peculiar. Era uma casa escondida no meio de um pântano. Estava cheia de livros, poções, coleções  das mais variadas espécies de animais, folhas, dentes e até bigodes de gato! Bateram à porta do Professor Maior, que imediatamente foi aberta.
-Bom dia. Em que vos posso ajudar?-perguntou o professor.
-Precisamos de ajuda e alguns conselhos seus- afirmou Heitor.
-Então, entrem -pediu o Professor Maior.
O Professor Maior era um grande conselheiro e amigo dos "comandantes da cama voadora". Ele ajudou-os a posicionar melhor os balões e como dar a volta aos percalços que poderiam acontecer durante a viagem. Depois de serem aconselhados, partiram para a viagem. Ernesto guiava, Rufino vigiava, Heitor dava ordens e Natália defendia a "cama voadora".
-Ernesto, teremos de virar para a esquerda daqui a 10.000 quilómetros, ou seja, daqui a quinze minutos - afirmou Heitor.
-Golfinhos à vista! Golfinhos à vista!- disse Rufino histericamente.
-Vou tirar-lhes umas fotos- afirmou a Natália- Foi a nossa primeira descoberta!
-E a segunda são aquelas sereias! -Exclamou o Ernesto.
-Onde?-perguntou a Natália.
-Não há sereia nenhuma! Estava só a brincar!
-Isso não se faz!- repreendeu a Natália.
- Mas agora, falando a sério: a segunda surpresa são aquelas focas.
-Vou também tirar-lhes uma fotografia- disse a Natália.
Passados alguns minutos, os quatro comandantes da cama voadora estavam a chegar à América e com mais algumas descobertas e surpresas: aves migratórias; outros navios, baleias e até um tubarão!
-Estamos mesmo quase a chegar à América!- disse Heitor, entusiasmado.
- Meninos, para a mesa!- chamou a mãe.
- Bolas! As nossas aventuras são sempre interrompidas pelas refeições!- refilou a Natália.
E finalmente chegara ao fim, esta aventura, interrompida pelo almoço. Afinal, toda esta aventura era fruto da imaginação dos quatro comandantes.

Inês Capelinha, 6ºD


Sem comentários:

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"