"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

24/01/11

AS PUPILAS DO SENHOR REITOR V!

O casamento de Pedro e Clara não foi lá muito feliz, pois Pedro teve que ir cumprir o serviço militar e Clara ficou sozinha. Desafortunadamente, apaixonou-se pelo novo pároco da aldeia!
Felizmente, ninguém sabia desse romance secreto, se não já se adivinham os mexericos que correriam lá pela aldeia!
Mas vamos falar de um casamento feliz, Daniel e Margarida tiveram três filhos: Pedro, Clara e António.
O Doutor João Semana, já de idade avançada, adoecera e ficara sob os cuidados de Daniel, que agora era o médico da aldeia.
Margarida deixara o seu trabalho, para se dedicar aos filhos.
E o Senhor António, o reitor?
Ele deixara de ser o pároco da aldeia e dedicara-se ele ao ensino das crianças, substituindo Margarida.
E ainda se lembram da Francisca? Aquela que esteve para casar com Daniel?
Ela não ficara lá muito feliz por Daniel ter casado com Margarida, pois no fundo ela ainda gostava dele, mas teve de se resignar e continuar à procura de noivo.
O senhor José das Dornas seguira o exemplo dos filhos e também se casou, pois achava que ficar viúvo era demasiado triste.
Na altura do noivado do senhor José das Dornas, o filho mais velho de Daniel e Margarida tinha 11 anos; Clara, a do meio, tinha oito e o mais novo 5.
Pedro e Clara também foram ao casamento, mas ambos estavam zangados, pois Pedro regressara e descobriu que a sua esposa andava a encontra-se às escondidas com o jovem padre! Contudo, escondeu no seu coração esse desgosto, para que ninguém suspeitasse e não ficar mal falado.
No meio de tantos amores e desamores, Margarida e Daniel foram os mais felizes e viveram felizes, pois parecia que Daniel finalmente ganhara juízo.
João Caeiro, 5ºD

7 comentários:

Sonhos De Deus disse...

Bom Dia!


Eu espero que você tenha um belo amanhecer ,
E que , amanhecendo , você desperte sorrindo ...

E que , sorrindo , você siga o seu caminho ,
A sua jornada de trabalho ,
Contagiando todos a sua volta ...passei pr me abençoar com o post, que por sinal está uma benção,te desejar uma semana de muitas mais, muitas vitórias,fica com Deus,m amigA!!!

Maria da Luz Borges disse...

Bom daniel, desta vez tenho que dizer que achei a tua história um bocadinho confusa. desculpa mas a verdade é que me custou a perceber o enrredo. Sabes, para escrever bem é preciso ler muito e escrever com simplicidade, sem grandes enrredos.
desejo que te tornes um excelente leitor e um bom escritor
Luz

Maria da Luz Borges disse...

Acho que não consegui postar o comentário... De qualquer forma fica a ideia. Daniel, para se ser um bom escritor não é preciso arranjar um enredo muito complicado. É preciso ler muito e escrever com simplicidade.
Boas leituras
Luz

Natália disse...

Feliz semana Isabel
Beijinhos

Sofia Lampreia disse...

Bem, devo dizer que até gostei do texto do João pois, de uma forma resumida, falou de todos os personagens, enquanto nas outras histórias falam só sobre os dois casais( Pedro e Clara, Daniel e Margarida)

Isabel Preto disse...

Eu também, Sofia. Quem não conheça a versão original é que pode ter dificuldade em perceber de onde vêm as outras personagens.
Aliás...há tantos, tantos textos que adorei, que me custa ter de apresentar apenas um por turma.
Beijinhos.

Anónimo disse...

adorei!!!!!!!!!!!
eheheh
foi o melhor texto que eu já li!!!!!!

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"