"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

31/03/12

Sonho feliz!

"Era uma vez um sonho infeliz, porque nunca tinha sido sonhado por ninguém. Sonho para ser feliz, precisa de pelo menos um sonhador. Podem ser muitos mais, mas não ter nenhum...não faz qualquer sentido!
Um sonhador é uma pessoa que voa muito alto, mas mesmo muito alto, só que na sua imaginação.
Por exemplo, na minha turma há vários desses sonhadores...
o Pedro Ferreira gosta muito de aventuras de guerras, será que se quer alistar no exército quando for adulto?
Eu já sei o que quero ser, quando for maior, quero ser bombeiro, para poder apagar todos os fogos possíveis ou polícia para defender as pessoas e apanhar "os maus da fita"!
E quais são os vossos? Não sei, mas devem ser muitos, com certeza!
Cada pessoa tem de ter, pelo menos, um sonho para ser feliz...mas quem não tem sonhos, é infeliz!
O sonho da minha professora? Vê-se tão claramente! Ensinar e aprender com os alunos...e construir um mundo diferente!
Pedro Dionísio, 6ºD

Fadas!

fada, Fadinha
Tinha uma varinha,
De condão, como convinha,
Era uma pequena fadinha!


Fez um truque na varinha
Apareceu a fada madrinha
Numa nuvem sentadinha
Para a fada não ficar sozinha!


Na terra da fada,
Havia uma bruxa malvada,
Fez um feitiço
E transformou um sapo num ouriço!


Mas a fada, fadinha
Com a sua varinha
Teve pena do ouriço
E quebrou o feitiço!

Joana Fragoso, 6ºD

Martim...e o ovo do dragão!

Há muito, muito tempo, existia uma aldeia chamada "Bué Bué Perto" e, nessa aldeia, vivia um rapaz camponês que se chamava Martim. Esse rapaz vivia com o pai e com o seu irmão, mas no dia em que Martim fez dezasseis anos, o seu irmão foi chamado para o exército.
Eles costumavam ir à caça e lavrar os campos juntos e a partir do seu aniversário, ele teve de começar a fazer tudo sozinho...enquanto o pai ia à cidade vender o que produziam durante a semana ou durante o mês.
Certo dia, estava Martim a lavrar os campos e viu qualquer coisa a brilhar entre as árvores, foi lá ver e era...era...era um ovo muito grande e azul! Martim vivia isolado da cidade numa cabana de colmo, no meio da floresta. Levou o ovo para dentro de casa e passou três meses a escondê-lo do pai, porque se o pai o visse, o mais provável, era vendê-lo...Martim manteve o ovo quentinho e confortável, até ao dia em que o ovo eclodiu: afinal era um ovo de Dragão!
Quando Martim lhe tocou, pela primeira vez, ficou com uma cicatriz muito estranha na mão e o dragão, por incrível que pareça, começou a falar com ele a partir da mente! O dragão era uma fêmea e, quando cresceu e aprendeu a voar, foi buscar o irmão mais velho de Martim, ao exército. Quando voltaram, o pai deles ficou muito contente por estarem ali os seus dois filhos queridos, mas muito dececionado por Martim lhe ter escondido o dragão durante tanto tempo, mas acabou por desculpá-lo e viveram felizes para sempre.
Pedro Vinhas, 6ºD, baseado na obra Eragon de Christopher Paoolini

As fadas...

Olá, chamo-me Raquel e sou uma fada dos animais...para ficarem a conhecer-me melhor, podem ler o meu texto sobre a vida das fadas...
Era uma vez, num sítio muito longínquo, uma terra chamada "FairyTown", que em português significa "cidade das fadas". Lá existiam vários tipos de fadas: fadas dos jardins, fadas dos animais, fadas da luz, fadas da água, fadas do vento, fadas da construção e ainda existem mais fadas, mas essas são ainda mais importantes!
Nessa cidade existe uma fada poetisa, chamada Clarisse. Ela faz muitos poemas, passa a vida a escrever textos e eu, a fada dos animais, adoro lê-los.
Eu gosto da maneira como ela honra as fadas da sua cidade: é muito bonito, pois encanta-a com a magia da poesia!
Por isso, vou contar-vos um poema que ela fez...um dos que eu mais gostei:
Fadas do meu coração
As fadas são muito educadas,
E pelos humanos são honradas.
Fazem a sua roupa
E nunca entornam a sopa!
As fadas da Luz,
Gostariam de ir a Queluz.
Adoram comer truta,
E de plantar fruta!
Querem divertir-se
Estão sempre a sorrir.
Bonitas, as fadas são,
Por isso, no meu coração, ficarão!
Foi um prazer contar-vos sobre as vivências das fadas...nunca deixem de acreditar nelas, pois elas andam sempre por aí!
Raquel, 6ºD

A História de uma vida...

Era uma vez uma menina de onze anos.
Um dia, quando acordou, viu que não estava a sonhar, tinha tido uma grande perda: a do seu pai! Ela vivia com a sua mãe e irmão, tentava muito ser feliz, mas não era nada fácil, porque havia uma grande falta em casa...
A sua mãe estava sempre presente na sua vida e era uma grande amiga que ela tinha ali, ao seu lado. A menina chamava-se Ana, o irmão era um rabino, que não lhe dava sossego, ela não tinha paciência para brincar com ele e, quando ela estava a fazer os trabalhos de casa, ele não contribuía para a sua concentração.
A Ana era maravilhosa, meiga, carinhosa e amiga dos seus amigos, tendo muitos desgostos na escola: as amigas, que ela pensava ter, desiludiam-na muitas vezes e a sua tristeza aumentava.
Neste ano letivo, a Ana teve algumas dificuldades na escola, pois a sua mente estava sempre no seu amor pelo pai. Sua mãe, muito atenta, tentava dar-lhe tudo o que ela queria, mas nunca nada a satisfazia por completo.
A sua mente era sempre a mesma, sempre a pensar no pai, acompanhada numa psicóloga, onde se sentia muito bem, pois lá conseguia dizer, o que não conseguia com a mãe.
Ana lutava para ser feliz, mas as saudades do seu pai eram tão grandes que, muitas vezes, falava nele para combater a sua angústia: falava sobre momentos vividos com ele, a comidinha que fazia, os passeios que davam em família e o colo que lhe dava com tanto amor, o pai tinha um amor muito grande pelos seus filhos e dava-lhes tudo o que estava ao seu alcance, mesmo muito doente, a sua preocupação eram os seus filhos e a mãe da Ana, sua querida esposa, pois ele vivia intensamente para a família.
Esta família era muito feliz e viviam todos os dias como se fosse o último, daí terem recordações inesquecíveis!
A Ana está no 6º ano e sente-se muito preocupada com os testes, de não poder satisfazer o que os pais tanto desejavam, a sua luta era constante e não desistia, pois o que ela queria é que a sua família fosse feliz novamente.
Passados alguns meses, olhou para trás e reconheceu o que tinha acontecido, tinha sido o melhor para o pai, ele não podia continuar a sofrer como sofria....
Os três estavam de mãos dadas e viviam intensamente uns pelos outros, faziam o que o pai tanto desejava e chegavam à conclusão que podiam ser felizes.
Tantas famílias completas s sem perdas não são tão felizes, como nós somos.
Ana diz que tem o seu Anjo Branco, sempre a olhar por ela e não sente medo pois está muito protegida por ele.
Esta família tinha uma frase:
"Nós amamo-nos muito, para sempre"...continuam a dizer a frase e a vivê-la com felicidade, assim como o pai da Ana queria.
A família Moreira vai continuar a ser feliz, mesmo havendo obstáculos, que vão surgindo. Vão lutar para serem felizes como foram outrora.
Vamos ser felizes, para sempre...
Ana Margarida, 6ºD

30/03/12

A Árvore Mágica!

Num dia de verão, aconteceu uma coisa mágica, uma pequena gota de raio de luz solar caiu numa aldeia de Santarém! Todas as pessoas vieram para ver o que se passava, mas, rapidamente se arrependeram! Logo, a seguir, fez-se sol, chuva, trovoada...Tudo ao mesmo tempo, até que finalmente parou!
Todas as pessoas se tinham escondido atrás de caixotes do lixo e árvores, ali perto...observando o que ia acontecer a seguir...
Começou a crescer um pequeno caule e, a cada segundo que passava, iam crescendo folhas e mais folhas, até que se formou uma linda e mágica árvore! Tinha folhas verdejantes e o seu tronco era de um castanho dourado. Era linda!
As pessoas ficaram paradas a olhar, não esperavam tal coisa!
Rapidamente, chamaram cientistas para ver que tipo de árvore era aquela...Os cientistas disseram que aquela árvore era a mais rara do mundo: "Eclopédia"!
Eles estudaram essa árvore durante vários anos e descobriram que é a árvore mais rica em folhas. Logo, é a melhor para fazer folhas de papel. Mas essas folhas tinham algo diferente das outras folhas: eram mágicas! Basta dizer tudo, o que iremos escrever à folha e aquilo aparece, como por magia!
Depois, todas as pessoas começaram a apanhar as folhas da árvore mágica e, no dia seguinte, já estava um montão de livros à venda, cada um com o seu autor!
Os livros eram fantásticos! Mas, na pequena livraria da cidade "subitamente, água começa a escorrer pelas estantes: eram lágrimas dos livros com saudades da mãe", a árvore mágica! A árvore mágica também estava com imensas saudades dos seus filhotes.
Chorava todos os dias, todos os minutos da sua vida, mas ninguém notava, pois chorava por dentro...
Até que um dia, um dos livros soltou uma página e lá estava escrita uma pequena mensagem para a senhora da livraria:
" Minha querida senhora, gostava que arrancasse todas as folhas dos livros e, de seguida, as pusesse ao pé da árvore mágica (a nossa mãe), depois chame toda a população para lá"
A senhora leu a carta, que fora ter com ela na sua secretária e, imediatamente, fez o que o livro lhe pedira. Arrancou todas as folhas e colocou-as ao pé da árvore e chamou toda a sua população.
Fez-se um enorme raio de luz solar, as folhas de papel começaram a ficar verdes e tornaram-se folhas de árvore de novo.
A árvore teve imensas flores e folhas e, desde esse dia, a árvore começou a ser uma atração turística, mas nunca mais ninguém lhe tirou as suas lindas folhas...
Enquanto essa árvore existir...o nosso Planeta será feliz!~
Beatriz Raichande, 6ºD

A Sofia e os gatinhos...em jeito de diário!

No dia de anos da Sofia, a tia Lúcia deu-lhe um diário! Agora a Sofia anota lá todos os acontecimentos da sua vida: os bons para recordar e os maus para desabafar...

Domingo, 21:
O João e eu, fomos fazer um piquenique à beira do rio. A mamã preparou-nos imensos petiscos! Pusemos a mesa no barco do avô, que costumava vir aqui pescar.
Que calor!
Estava-se bem à borda da água, no meio da verdura...
Gosto muito deste sítio. Há rãs, muitas espécies de aves e, por vezes, gatos perdidos, abandonados pelos seus donos!
Estávamos de volta da comida, quando, de repente, um gato vadio nos "roubou" uma coxa de frango!
-Vai-te embora, ladrão! Desaparece, gato!
-Não é um gato-gritou o João- é uma gata e está grávida!
-Ahhhhhhh! Achas que sim?!
Fiquei logo com remorsos:
-Volta, bichaninha, volta aqui!
Conseguimos "amansá-la" e ela comeu tudo, o que lhe apeteceu!
-Que apetite!
Quando acabou de comer, a bichaninha "lavou-se".
-Vamos deixá-la sossegada...
Como já ninguém tinha fome e estava muito calor, tomámos banho no rio. Mais tarde, fomos ver a gatinha e descobrimos que já tivera filhotes lindos!
Vou recordá-los para sempre!
Melissa, 6ºD NEE

"Livrinhos ilustrados" no 6ºD!




































28/03/12

"Alfabeto Monstro" II

Amim foi em tempos um pinguim!
Benemeu é gordo e gosta de pneus!
Crastunfoi tem um coração tão meloso que se apaixonou por um boi!
Dida canta bem e admira uma diva.
Enduro é muito maduro.
Felizmeu tem os olhos pequeninos muito inchados desde que o peixinho morreu...
Gaitaninho adora o seu gatinho.
Hiperisseto com a mania de ser elegante, anda sempre muito reto.
Ijania odeia sintonia!
Jasporar todo feito de bolhinhas, esconde-se do sol para não evaporar!
Limar gosta muito de rimar.
Mitaluto é odiado, por fumar charuto!
Numidu, senhor do seu nariz, muito convencido, mas tão esquecido!
Ovenilde é muito vaidosa e tem uma amiga chamada Clotilde.
Pedropo é amoroso, tal como o Pedro, que é muito charmoso!
Queperer de sete pernas compridas, está sempre a correr!
Rastafalar é um "monte de cabelos", com um grande problema, porque não tem mãos para se pentear!
Sitresso anda sempre com estresse, mas é tão lindo que é uma grande benesse!
Turimia com um grande barrigão... se faz dieta, parece uma enguia.
Urutupa de tromba fininha e língua afiada está sempre à espera que lhe façam cachupa!
Vejoquinhas comprido e rastejante, tem cinco olhos pendurados e é todo às bolinhas!
Xanitrapos elegante e bem vestido com os seus casacos cheios de ratos!
Zunifim com a sua cartola e olhos chorosos aqui agradece, pois chegámos ao fim!
Pedro Ferreira, 6ºD, apoiado pela docente (ideia original de Gabriela Silva)

"Alfabeto Monstro" I

Alava é um animal pardo e um bocado "amalucado".
Bobalua é um animal do mar e gosta muito de ajudar.
Cucaramu é um animal voador e que canta com clamor.
Dubidubadu é um animal antigo, mas muito amigo.
Eliceto é um animal de grandes orelhas, mas que não gosta de abelhas.
Fafonhá é um animal com penas e que gosta de "armar cenas".
Galonga é um animal ágil e bastante hábil.
Hipotalóto é um animal de água doce e era bom que não fosse!
Igustista é um animal que gosta de rastejar e tem muito para dar.
Jatagnar é um animal rápido, mas que tem um carácter "ácido!"
Leopanel é um animal elegante, mas muito fatigante.
Marinhoca é um animal pequenino, que mais parece um menino.
Noebilho é um animal fofinho, mas muito "chatinho".
Otáronta é um animal extrovertido, mas muito contido.
Patricano é um animal com uma grande "bocarra" e quer sempre farra!
Quapá é um animal que vive num lago, mas gostava de ser mago!
Rafatola é um animal que sabe roer, mas queria aprender a ler!
Supapo é um animal viscoso e muito mal cheiroso!
Tartuga é um animal com carapaça, que gostava de ser vendedor de praça.
Uvarso é um animal gigante, que gostava de ser vendedor ambulante...
Valeca é um animal às manchas, que pergunta sempre "Onde é que lanchas?"
Xuchalala é um animal simpático, que tem jeito para ser acrobático!
Zezebra é um animal às riscas que não gosta de fêmeas "ariscas"!
Joana Anselmo, 6ºD

24/03/12

Menção Honrosa do texto do "meu Pedro Ferreira"...

O Pedro Ferreira do 6ºD concorreu ao Concurso Literário: "A Alegria de Viver", uma das atividades proporcionadas pelo CRE, em conjunto com o nosso Departamento. Aliás, toda a turma concorreu, pois na aula todos escreveram e eu deixei-os escolher os dois preferidos: um em prosa, outro em Poesia...Havia textos lindíssimos, a escolha era difícil, mas foi a turma que escolheu os textos representantes do 6ºD e escolheram bem, pois o "nosso Pedro" ganhou uma menção honrosa...Aqui fica o texto dele:
Alegria de viver?
Vamos lá a ver;
Há tanta coisa para dizer...
Que não sei por onde escolher!
A vida é para aproveitar;
Não para desperdiçar...
A vida não é como um jogo
Porque se fosse, ninguém pedia socorro!
Socorro, devem estar a perguntar;
E pensam que estou a "alucinar"!
Mas olhem um exemplo
Que me aconteceu no momento!
Rasgar a folha; o que vou fazer?
Num jogo eu voltava a viver;
O que quero dizer, é que só temos uma vida;
E num jogo, a vida repetia!
A vida não é só com humanos;
Animais, plantas e até marcianos...
Quem disse que eu era humano?
Se calhar, até sou marciano!
Eu vim parar à terra;
Agarrado a um cometa;
Eu sou extraterrestre;
Não sou deste Planeta!
A vida é para aproveitar;
O passado para deixar...
A vida é para passar com amigos e família...
Pois o meu lema é: amanhã, é um novo dia.
Pedro Ferreira, 6ºD, numa aula de Português.

Está quase!


Poucas coisas na vida, me fazem mais feliz do que a escola! Por isso, no meio da imensidão de papeladas e grelhas, relatórios e reuniões de final de Período...ainda "arranjo" tempo para muitas das coisas que me fazem feliz: brincar muito com as minhas princesas, mandar mails a amigos doentes, visitar a minha família e...coisinhas simples da nossa Escola, como tirar fotos a trabalhos interessantes e colocá-los aqui!
Por isso...daqui a pouco é Páscoa e podemos descansar.

22/03/12

Apesar de tanto trabalho...




























...na "minha Escola" trabalhamos muito! Em muitas escolas se trabalha, quase sempre, mais do que conseguiríamos, sobretudo no final do 2ºPeríodo, onde o "mar de papeladas, quase nos sufoca"...mas como eu hei de amar sempre ser professora, enquanto tiver saúde para o fazer bem...tinha de colocar hoje aqui...muitas fotos, das muitas atividades da "nossa Escola", onde muitos professores e departamentos, incluindo " o meu" e onde eu mesma estou a trabalhar mais do que nunca, se evidencia, só pelas imagens...Por isso, por hoje, não escrevo mesmo mais nada. Deixo-vos as fotos das múltiplas atividades ainda a decorrer, quase no final do Período!

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"