"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

30/12/09

Um presente de Natal, acabado de chegar!

Ainda o aniversário da Sara!



A decoração da mesa, ficou a cargo da minha irmã, que escreveu "Parabéns" com rebuçados! Obrigada por todos os comentários bonitos, que tantos amigos nos deixaram nesse dia. Foi muito importante para a Sara e para mim.

Desejamos que se despeçam do ano de 2009, com muita paz e alegria. Que 2010 seja um ano de felicidade e sorrisos e que Deus nos dê forças, para os momentos menos bons...Ao recomeçar um novo ano, renasce a esperança e fazemos sempre mil projectos de mudança...que seja possível recomeçar com o coração pleno de sonhos.

28/12/09

Feliz Aniversário, Princesa!


GOSTOU DESTE GIF? No site Belas Mensagens tem centenas! CLIQUE AQUI E CONFIRA

És a princesa mais linda do mundo, porque és a minha filha!
Sara, meu anjo, doce como o mel...és a minha força e o meu viver.
Parabéns, minha filha querida.
Amo-te muito, muito, filha.

27/12/09

Uma tarde de...Artistas!





Primeiro, fizemos massa com gesso...depois, colocámos a massa nos moldes e...agora estamos a pintar.
A Sofia pintou um cão bem original, não?

Foi assim!





Este Natal, ao contrário do costume, não fomos para Bragança...Com muita pena nossa, pois lá, na nossa aldeia é sempre mais Natal...Não sei bem explicar esse sentimento, mas sinto ali o Natal de outra forma...e este ano havia neve, que é um dos sonhos das minhas filhas...Anseiam há muito, brincar na neve...Mas à falta de neve, os brinquedos foram outros e começaram a abrir presentes muito antes da meia-noite!
Os meus pais vieram e ficámos todos na casa da minha irmã. Durante a tarde, as minhas duas princesas e as minhas duas sobrinhas foram abrindo os presentes e eu brinquei com elas, pois que eu sou sempre pior que elas, quando vejo bonecas ou lagartinhas dançarinas!
Na cozinha, a minha mãe fazia os doces de Natal...e quando regressámos a nossa casa, abrimos o resto dos presentes...e deixámos dois na árvore...É que amanhã a Sara faz 10 anos e dia dois de Janeiro, a Sofia faz cinco!
Assim...as festas vão continuar e as brincadeiras também.

21/12/09

Chegou o Inverno!

Incrivelmente frio!
No calor do lar, apetece ficar
...

Vislumbrando a
Esperança do Natal,
R
enovando e sentindo o desejo de um
Novo Ano a chegar!
Ouvindo música e bebendo chocolate quente, para reconfortar!







Alunos do PLNM
Foto tirada no Natal de 2008, na nossa aldeia no Norte.

20/12/09

Amizade...precisa-se!

Conto de Natal!

Antigo Conto de Natal!

Eu vi um camião cheio de árvores de Natal
E cada uma tinha uma história para contar,
O motorista colocou-as numa fileira
Esperando que as pessoas as viessem comprar.
Ele pendurou umas luzinhas brilhantes
E uma placa em que se podia ler
"ÁRVORES DE NATAL"
E em vermelho escrevia
"ÁRVORES DE NATAL PARA VENDER"
Ele serviu-se de chocolate quente
Numa garrafa térmica fumegante,
E assim começou a nevar
Enquanto uma família estacionava esfuziante,
Uma mãe, um pai, e um menino
Pararam o carro, rapidinho
Vieram, caminhando, e começaram a procurar
A perfeita árvore para se decorar.
O garotinho ia à frente,
com seu olhar reluzente, a exclamar:
"Elas têm cheiro de Natal, mamã!
Sinto o cheiro de Natal em todo lugar."
"Vamos comprar uma árvore de quilómetros de altura!
A maior que pudermos encontrar!
Uma árvore que encoste no tecto!
Uma que nem se possa carregar!"
"Uma árvore tão grande
Que até mesmo o Pai Natal, quando olhar,
Vai se admirar:
“Esta é a árvore mais bela
Que já vi neste Natal.
Natal Bem-vindo
Natal de Deus
Na terra caindo
A graça dos céus.
Natal que nos traz paz
Na alma a esperança
De uma inocente criança.
Natal de luz
De pureza e verdade
Onde é ao Jesus
Sol da humanidade.
Dá ao mundo Senhor
Menino Celestial
Um eterno Natal
De muita Paz e Amor.
Tempo novo que nos traz
Tal como uma criança,
Ao coração a doce esperança
De um Mundo de Amor e Paz.
Mundo de fúria mansa,
Nos valores que tanto preza,
A justiça bem pouco pesa,
No prato justo da balança.
Se o homem no tempo reza,
Por melhores tempos afinal,
Que tempos novos se veja
Mas, nunca tempo algum seja
Sem ser tempo de Natal.

Apresentado por Abdul, 6ºK

6ºK apresenta...

Andreia do 6ºE apresenta:Viver o Natal!

18/12/09

Feliz Natal!

Desejo a todos os meus alunos, colegas, amigos e família um santo e feliz Natal, com muita alegria e saúde.
Que o "Pai Natal" realize os vossos sonhos e que todos tenhamos um super 2010.
Beijinhos.

No Fundo do Mar: 6ºF





16/12/09

Jorinda e Joringuel!

(...) Na floresta, por entre os arbustos, o sol projectava raios de luz que se reflectiam nas folhas verdes e frescas.De cabeça erguida, pardais, pintassilgos e muitos outros pássaros, cantavam lindas melodias, pousados nos ramos das árvores.
Jorinda e Joringuel decidiram dar um passeio até lá procurando alimento para a ceia, visto que eram pobres e não tinham quase nada para comer.
Foi aí, que os dois jovens avistaram, de longe, um caminho escuro e de vegetação muito densa.Os dois sabiam que seria perigoso atravessá-lo, mas a curiosidade de espreitarem o que lá havia, levou-os a prosseguir.Sem saber o que lhes estava destinado, Jorinda e Joringuel aproximavam-se cada vez mais do castelo da bruxa.À medida que iam caminhando, a luz encantadora do sol, ia cessando e estava cada vez mas escuro e negro o ambiente.Jorinda e Joringuel olharam em redor temerosos e subitamente depararam-se com o castelo.Assustados e sem saber o que estava a acontecer, recuaram e ouviram um riso estridente de malvadez.Os dois ficaram estáticos pois perceberam que se tratava de uma bruxa que lhes queria mal e agora ficara feliz pois aprisionara-os.Jorinda e Joringuel voltaram-se para trás e confrontaram-se com a malvada bruxa.
Ela, costumava vestir-se de preto.Usava uma túnica comprida e recortada, umas botas altas e um enorme chapéu bicudo.Tinha uma extensa verruga no nariz... era muito malvada e julgava-se o ser mais poderoso de todo o mundo.
A bruxa lançou um feitiço a Joringuel, transformando-o em estatueta de pedra mas à Jorinda a bruxa não teve sequer tempo para lhe lançar qualquer feitiço pois a jovem começou a chorar tanto pelo seu amado que nasceu um rio fundo e de água azul clara, onde se afogou a bruxa que perdeu todos os seus poderes.Joringuel, retomou a sua forma humana e os dois fugiram para a aldeia onde viviam.Nesse mesmo dia casaram e foram felizes para sempre.

Rita Carmo nº 20 6ºE

14/12/09

Jorinda e Joringuel!

(...)Numa manhã linda de Verão, quando o sol tinha acabado de nascer, Jorinda e Joringuel foram dar um passeio matinal pela floresta.
Tinham curiosidade de ver o castelo, pois não acreditavam que a bruxa existia.
Quando chegaram perto do castelo ficaram um pouco assustados, porque em volta do castelo, a vegetação era muito densa, mas como a curiosidade era muita, resolveram entrar.
Depois de passarem pelo portão principal percorreram um enorme jardim muito mal cuidado e cheio de gatos de várias cores e pássaros, que se mostravam assustados com a presença deles e começaram a voar em direcção ao castelo.
Quando finalmente chegaram ao castelo, abriram um portão grande de ferro e entraram. A luz do sol não entrava dentro do castelo, pois todas as janelas estavam tapadas com panos pretos.
A curiosidade levou-os a abrir todas as portas do castelo e nem se aperceberam que tinha anoitecido!
Jorinda e Joringuel foram surpreendidos por um gato preto, que saltou das escadas do sótão directamente para cima de um cadeirão sujo, que se encontrava no meio do quarto, onde Jorinda e Joringuel estavam! Ainda não se tinham refeito do susto, quando viram o gato preto transformar-se numa bruxa feia e velha, com verrugas na ponta do nariz comprido e bicudo! começaram a gritar ao mesmo tempo que a bruxa esbracejava. Queriam falar, mas tinham perdido a voz com o susto que apanharam!
A bruxa mais rápida pegou na sua vassoura e transformou-os em estátuas de pedra!
Com o passar dos dias a bruxa apaixonou-se por Joringuel e voltou a devolver-lhe a forma humana, depois de lhe lançar um feitiço para ele se apaixonar por ela, mas a bruxa não esperava que o feitiço não fizesse qualquer efeito, pois o seu amor por Jorinda era mais forte que qualquer feitiço!
Quando Joringuel se apercebeu que o feitiço tinha sido quebrado, correu e alcançou a vassoura primeiro que a bruxa má e transformou-a, sem saber como, num corvo e meteu-o dentro duma gaiola e instantaneamente Jorinda voltou à sua forma natural, a vegetação em volta do castelo transformou-se em flores lindas, com cores vivas, os gatos transformaram-se em crianças, que a bruxa tinha raptado e Jorinda e Joringuel, finalmente, casaram-se e viveram felizes para sempre.
Sara Alidina, 6ºE

11/12/09

Sempre Natal!


O Natal não é somente
Celebrar solenemente
A data mais conhecida
Natal é qualquer momento
De amor e sentimento
Que ilumina a nossa vida.


É o dar sem receber
É o coração conter
Dimensão de caridade
É dar esmola ao mendigo
Ajudar os sem abrigo
Com franca fraternidade.
Natal é para o ser humano
Qualquer altura do ano
Em que visita um doente
Quando aos fracos dá a mão
E aos tristes em solidão
Ou conforta alguém ausente.
Natal é a força maior
A grande lição de amor
Que Cristo nos veio trazer
Sem grandes filosofias
Natal é todos os dias
Quando o queiramos fazer!...


Recolha de Sara Alidina, 6ºE

Viver o Natal!

Era uma noite fria
Fria e de mau tempo
Tempo de Natal
Natal Feliz
Feliz Ano Novo
Novo como nós
Nós vamos receber prendas
Prendas do "Pai Natal"
"Pai Natal" gordinho
Gordinho e vermelhinho.
André, Margarida Ramos e Cláudia
A nossa Escola está a viver o Natal de forma intensa: com a ajuda de todos, estamos a construir cabazes de Natal, que vamos oferecer a quem mais precisa.
Não há porta de sala nenhuma onde não haja um enfeite de Natal e a mensagem:" Natal é dar a mão a quem precisa, todos os dias"...
Há presépios e árvores de Natal lindíssimas em vários espaços, exposição de trabalhos, fruto do empenho de muitos alunos e professores.
Até há turmas a recolher mantinhas de bebé e livros de histórias, para oferecer ao hospital Garcia de Orta.
O 6ºE também participou, com o empenho e o dinamismo, que caracteriza esta turma, sempre pronta a ir mais além.

10/12/09

Jorinda e Joringuel


"No meio de uma densa floresta, havia um castelo antigo, onde morava, sozinha, uma bruxa feia e má. De dia transformava-se em gata e de noite retomava a forma humana, para caçar pássaros e animais selvagens.
Quem se aproximasse do castelo, ficava logo enfeitiçado. As raparigas, ela transformava-as em pássaros; aos rapazes, transformava-os em estatuetas de pedra.
Ora havia naquele tempo, uma bela rapariga chamada Jorinda, que estava noiva de um rapaz chamado Joringuel e faltava pouco para o casamento."
Os dois passeavam alegremente e de mãos dadas, quando, de repente, se ouviu um barulho vindo dos arbustos...
-O que será?-interrogou a Jorinda.
-Não sei, querida.-respondeu Joringuel.
-Será a bruxa?- perguntou Jorinda.
-E é a bruxa!Ah!Ah!Ah!-dizia uma voz aguda e meio rouca.
Nisto aparece um gato, que se transforma numa bruxa, feia e de nariz adunco.
Jorinda e Joringuel começaram a correr em sentido contrário, mas a bruxa, voando na sua vassoura, apanhou-os rapidamente.
Mais tarde, chegaram ao castelo da bruxa. Era horroroso e assustador!
-Fiquem aí quietinhos, que eu já volto. Não mexam em nada!-disse-lhes a bruxa, em tom ameaçador.
Joringuel olhava com medo para o castelo, enquanto Jorinda se dirigia para uma estante. pegou num frasco e guardou-o no bolso. "Pode ser útil, mais tarde", pensou.
Quando a bruxa voltou, Jorinda e Joringuel foram transformados: Jorinda tornou-se numa arara e Joringuel ficou uma estátua de pedra.
Na gaiola, Jorinda olhava para o frasco.
-Para que serve?- perguntou-lhe uma linda ave, também enfeitiçada.
-Não sei.-respondeu Jorinda.
Sem pensar,derramou o líquido azul no chão e...os animais e as estátuas voltaram à forma humana!
-Jorinda!
-Joringuel!
-Vamos fugir daqui!-exclamou Joringuel.
Havia muitos casais ali, felizes por voltarem à forma humana.
A bruxa chegou à sala e, quando os casais viram a bruxa, atiraram-lhe com um frasco, que dizia "Feitiço de aprisionamento."
A bruxa perdeu os poderes e ficou presa.
Jorinda e Joringuel, como tantos outros casais, saíram do castelo e foram viver felizes para sempre.
Igor Lança, 6ºF
Esta foi a belíssima história de amor, imaginada pelo Igor, a partir do começo do conto: Jorinda e Joringuel, dos irmãos Grimm

09/12/09

Desafio Natalício!

1. Eu já... passei alguns Natais, com tristeza no coração, mas sempre com esperança de recomeçar a sorrir.

2. Eu nunca... deixei de enfeitar a árvore de Natal, primeiro na casa dos meus pais e agora para as minhas filhas! Um mês antes, já ela brilha na nossa sala e começa a ficar rodeada de presentes, para elas, para as minhas sobrinhas, para a minha irmã e para os meus pais...Dá-me uma alegria imensa ver a Sofia perguntar, todos os dias, o que será que o pai Natal me trouxe? E a Sara, fingindo que ainda não sabe que sou eu, completando a irmã, mexe e remexe nas prendas, tentando adivinhar!

3. Eu sei... que há muitas pessoas que nem no Natal têm o conforto de uma mão amiga, que passam fome e miséria e, por isso, ensino as minhas filhas a partilhar com os outros e a agradecer a Deus tudo o que temos.

4. Eu quero... que um dia, quando for velhinha, possa estar rodeada das minhas filhas e netos e sentir-me criança no Natal, como sempre me sinto. Quero ter os meus pais comigo, muitos, muitos anos.

5. Eu sonho... com um mundo melhor, onde todos possam sentir e viver o Natal em paz, com harmonia e alegria. Sonho com um mundo de verdadeira união e igualdade, onde o egoísmo dê lugar ao espírito fraterno. Sonho com um Natal, onde todas as crianças do mundo se sentissem amadas, como as minhas filhas.

Este desafio foi-me oferecido pela Isabel do Blog "Memórias soltas de professor" e pede que eu desafie mais cinco pessoas a responder e aceitar o desafio.
Aqui ficam os cinco Blogues que convido a responder:





08/12/09

A macaca vai casar!



Num dia de sol, no jardim zoológico, a macaca e a foca aguardavam que os tratadores lhes dessem comida, pois estavam esfomeadas!
A macaca exclamou para si própria:
-A comida é para hoje ou para amanhã?! Estou quase a desmaiar de fome!
-Olá dona macaca, que conta da vida, além de se queixar de fome?- perguntou a foca, sua vizinha.
-Cá estou sempre na mesma, fazendo macaquices, sabe...é para isso que me pagam. Mas estou bem. E a senhora foca, como vai?
-Estou um bocadinho triste, para dizer a verdade. Sinto falta de um marido, para poder conversar. A solidão está a acabar comigo!
-Realmente, é triste e tem muito azar...Eu já encontrei o marido perfeito! Nem sabe como me sinto...ando nas nuvens!
-Não sabia que tinha casado, dona macaca. Fico feliz por si!
-Ainda não casei, mas vamos casar brevemente. A dona foca será convidada. Não desanime, no casamento virão todos os animais do Zoo...Quem sabe, encontra o parceiro ideal. Ninguém é feliz sozinho.
-Obrigada, amiga, por me convidar e dar ânimo. Olhe, finalmente vem lá a comida...
-Já não era sem tempo! Agora temos de nos calar...se descobrem que falamos...logo vão querer ganhar dinheiro com isso! Até breve, querida amiga.
-Até...vou sonhando com o seu casamento.
Pedro, 6ºJ

02/12/09

Amizade!

Para mim a Amizade é ter Amor, Carinho e Amigos.
É importante a amizade, pois sem amizade não temos Amigos e sem amigos não há Alegria.
A Amizade é querer dividir os problemas, multiplicar alegrias, diminuir lágrimas e somar sorrisos…a Amizade é o melhor sentimento da vida, pois os amigos verdadeiros valem mais que um tesouro: são como irmãos, que partilham tudo.



Sara Gomes, 5ºE


Para quem não sabe...a Sara é uma das minhas princesas, a minha filha.

Carta ao Pai Natal!


Olá Pai Natal:

É a primeira vez que escrevo para ti!
Venho de Lisboa e o pessoal chama-me AC..desculpa o atrevimento, mas tenho alguns pedidos!
Espero que não fiquem nalguma prateleira esquecidos!
Como nunca te pedi nada...
Peço tudo duma vez e fica a conversa despachada!
Talvez aches os pedidos meio extravagantes...
Queria que pusesses juízo na cabeça destes governantes!
Tira-lhes as armas e a vontade da guerra...
É que se não acabamos a pedir-te uma nova Terra!
Ao sem-abrigo indigente, dá-lhe uma vida decente...
E arranja-lhe trabalho em vez de mais uma sopa quente!
E ao pobre coitado, e ao desempregado...
Arranja-lhe um emprego em que ele não se sinta explorado!
E ao soldado, manda-o de volta para junto da mulher,
Acredita que é isso que ele quer!
Vai ver África de perto, não vejas pelos jornais...
Dá de comer às crianças, ergue escolas e hospitais!
Cura as doenças e distribui vacinas...
Dá carrinhos aos meninos e bonecas às meninas!
E dá-lhes paz e alegria!
Ao idoso sozinho em casa, arranja-lhe boa companhia!
Já sei que só ofereces aos meninos bem comportados...
Mas alguns portam-se mal e dás-lhes condomínios fechados!
Jactos privados, carros topo de gama importados!
Grandes ordenados, apagas pecados a culpados!
Desculpa o pouco entusiasmo, não me leves a mal,
Não percebo como é que isto se tornou um feriado comercial!
Parece que é desculpa para um ano de costas voltadas...
E a única coisa que interessa é se as prendas são compradas
E quando passa o Natal, dás à sola?
Há quem diga que tu não existes, quem te inventou foi a Coca-Cola!
Não te preocupes, que eu não digo a ninguém
Se és Pai Natal é porque és pai de alguém!
Para mim Natal é a qualquer hora, basta querer
Gosto de dar e não preciso de pretextos para oferecer
E já agora para acabar, sem querer abusar
Dá-nos Paz e Amor e nem é preciso embrulhar
Muita Felicidade, saúde acima de tudo
Se puderes dá-nos boas notas com pouco estudo
Desculpa o incómodo e continua com as tuas prendas...
Feliz Natal para ti e já agora baixa as rendas!

Boss AC, apresentado por Joana 6ºE

30/11/09

A velha e a cabaça: 6ºJ!

Dona Maria Carapau,no dia seguinte,foi ao mercador e encontrou a amiga Maria Bacalhau...
-Ontem, nem imaginas o que me aconteceu!!
-O que foi!! O que foi!! Conte lá mulher, que já estou preocupada!
-Depois do almoço,veio-me à ideia ir visitar os meus netinhos do meu coração. E pensei cá comigo, vou mas é pela serra, que é mais perto.
-Cruzes! Credo! Pela serra? Deves estar mas é maluca!
-Já sabes como eu sou...uma mulher corajosa.
-Então... Conta lá como é que escapaste dos lobos?!
-Primeiro inventei-lhes uma história, dizendo que lhes trazia um belo arroz-doce no regresso...
- Então, e para voltares para casa? Como conseguiste enganar os lobos?
-Tu nem vais acreditar! Meti-me dentro de uma cabaça! Só se me viam as botas...trupe, trupe, trupe...por aquela serra abaixo! passei por eles, disfarcei a voz e até lhes cantei uma canção!
-Sempre me saíste muito inteligente! Por isso é que te chamas Maria Carapau! Ah, pois é!
-Devias ver os parvos dos lobos, a ouvir:
"Roda, roda cabacinha,
Não vi velha, nem velhinha!
Roda, roda cabação,
Não vi velha, nem velhão!"
- Pois...gostava de ter visto! Ainda devem estar à espera que alguma velha lhes traga arroz-doce! Ah! Ah! Ah! Bem...mas agora, vou andando que se faz tarde e tenho de ir fazer o almocinho ao meu Bartolomeu.
-Adeus, vizinha, Até outro dia.

28/11/09

Contos Tradicionais!

A partir do conto tradicional: "A velha e a cabaça", o 6ºK imaginou um diálogo bem cómico, em que a velhota conta a uma amiga o sucedido, quando se encontram no mercado. Mais uma ideia da minha amiga, Patrícia, que resultou bem.
No dia seguinte, a dona Josefina foi ao mercado e encontrou a sua amiga Gertrudes.
-Oh, minha rica amiga...nem imaginas o que me aconteceu ontem! Ainda sinto as pernas a tremer!
-Conta lá, conta lá, que me deixaste curiosa e preocupada!
-Então, não é que ia ver os meus netinhos e decidi ir pelo caminho mais curto, pela serra, mas dei de caras com um lobo!
-Não! Não posso crer!Até me custa a acreditar...
-Acredita, acredita, que foi bem verdadinha!
-Então e como te safaste dessa? O lobo não te comeu?
-Oh, mulher, se me comesse não estava aqui!-(gente burra, pensa Josefina!)
-Então, diz lá como é que passaste pelos lobos e eles não te viram?
- Os meus netos, que são gente esperta, graças a Deus, deram-me uma cabaça do meu tamanho, vê bem tu! E pronto, meti-me lá dentro e passei por eles a cantar. Fiz-lhes uma música de rap, que até ficaram parvos! Isto comigo é sempre assim: certinho, direitinho...

24/11/09

Histórias de...VAMPIROS!

Aqui fica a minha primeira experiência em livros digitais, publicando textos das duas turmas de Percursos Alternativos.

19/11/09

Encruzilhada!

Já viram a ilustração do Diogo, intitulada "Encruzilhada"...agora aqui vai o texto:

Era uma vez um castelo. E era uma vez um rei e uma rainha. Viviam no castelo, numa floresta, de onde saíam vários caminhos! Uma encruzilhada, jamais explorada!
Mas um dia, aventuraram-se e foram passear pela floresta. Experimentaram quatro caminhos, que pareciam não ir dar a lado nenhum! Faltava um caminho...mas aconteceu algo estranho: tinham de ultrapassar alguns obstáculos e vencer algumas provas, para chegar ao fim desse caminho!
O rei e a rainha eram astutos e aventureiros e, quando encontraram um mapa que dizia OUSAR, acharam que estavam a começar uma aventura, mas ficaram receosos ao mesmo tempo.
Afinal, nunca tinham estado sozinhos frente ao desconhecido! Normalmente, tinham o seu séquito para os proteger!
Mas lá continuaram até que encontraram uma porta, tinham de descobrir uma palavra-chave que abria a porta... A rainha fez uma magia, pois ela fazia magia, nos tempos livres...porém não resultou!
O rei, para se armar em cavalheiro, disse:
-Eu cá, não preciso de palavra-passe nenhuma! Com a minha espada, parto essa porta ao meio!
E...conseguiu, para espanto da sua adorada esposa!
Por detrás da porta, parecia tudo sem interesse...um lugar isolado e solitário!
De repente, avistaram uma águia, que parecia querer que a seguissem! assim fizeram e a águia voou pela floresta densa, até os levar para junto de um tesouro!
O rei e a rainha nem podiam acreditar! Levaram o tesouro consigo e a águia seguiu-os até ao castelo, onde ficou para sempre. Essa águia era uma estrela da sorte, para aquele reino! A encruzilhada desapareceu, deixando ver todo o reino iluminado por um brilhante dia de sol e a águia voava livremente pelas imediações do castelo, recordando ao rei e à rainha que teriam sempre sorte no futuro. A estrela da sorte ficaria sempre ali.

18/11/09

Bloper!

Bloper é o nome de um novo blog, criado pelas turmas do 5ºJ, 6ºJ e 6ºK, turmas de Percursos Alternativos, para mostrar o que vão fazendo na escola.
Aqui fica o endereço e sendo professora de duas destas turmas, aguardo o vosso apoio.
http://bloper-bloper.blogspot.com/

16/11/09

A encruzilhada!

Eis o desenho do Diogo, para ilustrar uma história escrita a partir do jogo:"Arca dos Contos". (6ºF)

13/11/09

Cão inteligente: parte 2


- E eu sou o "Patas" . Sou muito inteligente e há muito tempo que te observo à distância...És mesmo linda, Núria. Se quiseres, dou-te o meu coração.
E de repente, "Patas" estende-lhe um lindo ramo de rosas, que tinha escondido atrás de si!
Núria, como qualquer mulher...perdão, cadela, ficou encantada, pois ninguém resiste a um gesto destes! Ficou toda corada e aceitou aquele presente inesperado, com um sorriso tímido.
-Obrigada, gentil cavalheiro. Agora, tenho de ir que a minha dona está a chamar-me, mas prometo vir passear contigo todos os dias. Mais uma vez obrigada, pelas rosas. São lindas!
"Patas" retribuiu o sorriso e despedindo-se da linda cadelinha, sentiu o seu coração bater mais forte...Afinal, tinha conquistado o amor da sua vida.
Texto colectivo, 6ºJ

12/11/09

Seguir um insensato é sinal de tolice!




Eva, 6ºF

O meu amigo robot!

Se eu tivesse um robot gostava que ele fosse inteligente e que tivesse bons pensamentos.
Gostava que tivesse boa memória e que fizesse tudo que lhe mandasse fazer.
Gostaria que fosse baixinho,com uns olhos grandes.
Ele não poderia ter uma voz alta:falaria sempre baixinho.
Os seus braços seriam compridos e ele seria gordinho.
Tão fofo o meu robot!


Josiane Gomes 6ºA

Se eu tivesse um robô, ele seria compreensivo,inteligente e brincalhão!Quando eu o mandasse fazer qualquer coisa, ele faria. Gostaria que ele nunca se esquecesse de nada!Ele seria grande, com olhos pequeninos e brilhantes,o nariz médio e boca invulgar!Não queria que ele falasse com uma vez muito alta.Eu seria muito amiga, do meu robô.

Vivien, 5ºA

O meu robot é acrobático! Ele é muito simpático, brincalhão, mas sério ao mesmo tempo, pois é de confiança!Ele transforma-se em carro, conta anedotas, é educado e malandro, pois gosta pouco de trabalhar! É rápido a executar ordens, muito compreensivo comigo e aplicado, quando quer.Gosta muito de dançar, come muito e dorme muito também! Não gosta que gozem com ele e ajuda as pessoas.

A cabeça é quadrangular, os olhos parecem colunas e são amarelos e azuis! O nariz é uma bola, não tem pescoço! É todo cor-de-laranja, com braços e pernas curtas, todo ele muito pequeno.

Mussa, 6ºF

Um amigo imaginário!


À quinta-feira, tenho aula de apoio de Português Língua Não Materna, com uma menina do 5ºH, muito interessada e criativa.
Ela gosta de escrever no computador, por isso, depois de trabalhar com ela o texto escrito e de o corrigir, a Fatoumata Binta escreveu-o aqui:
Se eu tivesse um robô ele ia ser inteligente e compreensivo. Ele ia ajudar-me a cozinhar e a fazer os trabalhos de casa ou estudar.
Ele poderia construir as coisas que se estragassem! Era assim que eu queria que ele fosse, um robô cheio de poderes.
O meu robô seria alto, todo metalizado. Seria tal e qual uma caixa de ferramentas, cheio de botões e parafusos!
Teria os olhos pentagonais que até brilhariam um bocadinho... A cor do corpo dele seria cinzenta,com um alarme em cima da sua cabeça .
O nome que lhe daria, era Robô ED.

O rei solitário!

A propósito do título:"Fadas do Jardim do rei", de Luísa Barreto, consegui resultados fantásticos! Houve alunos a escrever poemas, outros a fazer jogos de escrita(Acrósticos e Palavra puxa palavra) e outros a inventar histórias de encantar, como o Diogo da turma E.
Era uma vez um rei solitário, que vivia num grande castelo situado numa colina encantada. À roda desse castelo, havia um jardim enorme, muito belo, repleto de flores de mil cores.
Mas havia um segredo que o rei não sabia: era que havia três fadas!
Certa noite uma das fadas entrou no castelo, por curiosidade. Viu todo o castelo até que chegou ao quarto do rei. A fada entrou e viu todo o quarto e a curiosidade continuou a levar a melhor e...entrou num lugar proibido: a sala do trono, onde estava a coroa! Quis tocar nela e mal o fez, o alarme soou, os guardas não tardaram a aparecer, mas a fada contornou-os e fugiu...O rei pasmado disse:
-Que é isto?!Não conseguem apanhar um ladrão insignificante?!
Na manhã seguinte, foi ao jardim e encontrou uma toca numa árvore magnífica...
Meteu lá dentro a mão e conseguiu apanhar uma das fadas!
-Se não me fizeres mal e se acreditas em magia...eu e as minhas irmãs concedemos-te um desejo!-implorou a fada.
O rei soltou-a, incrédulo...e balbuciou:
-Amanhã a esta hora, encontramo-nos aqui...
Assim, foi. No dia seguinte, o rei regressou ao local encantado.
-Qual é o teu desejo?-perguntaram as fadas.
-Quero uma esposa.
As fadas fizeram um feitiço e apareceu uma mulher! O rei casou com ela...vivendo feliz para sempre.

11/11/09

Oficina de Formação!

Hoje termino a Oficina de Formação de PLNM e devo confessar que a procura de materiais, para a Sequência Didáctica me deu muito prazer, principalmente a descoberta dos "Três Porquinhos"...A cada momento livre, acrescentava materiais às aulas! Será que os alunos de Português Língua Não Materna gostarão desta história?

Sabores e tradições de Outono!







10/11/09

O cão inteligente!


Era uma vez um cão muito especial, chamado "Patas ", muito inteligente.
Certo dia, o cão foi passear no jardim das Paivas e, de repente, avistou uma linda cadela.
Foi logo ter com ela, para se tornar amigo dela.
-Olá como te chamas, linda princesinha? Sabias que há uma semana que ando a tomar coragem, para te conhecer?!
- Ainda bem que ganhaste coragem, pois acho-te muito simpático! Sou a Núria e tu?
6ºJ(Continua)

O meu Robot!

Retrato psicológico:
Se eu tivesse um Robot, seria fêmea.
Eu queria que ela fosse simpática, inteligente, obediente.
Ela seria aplicada , educada, divertida, extrovertida.
Ela seria compreensiva, pensativa, alegre e trabalhadora.

Retrato Físico:
Ela seria bonita, teria um corpo cor de rosa, seria forte, alta, magra e teria os braços compridos.
Ela teria cabelo loiro, a boca teria a forma de um paralelogramo. Ela poderia transformar-se, naquilo que eu quisesse!
Ineida, PLNM

09/11/09

Família de Palavras!







No quadro escrevemos famílias de palavras a partir de: mar, pesca e barco, que integraram depois um desenho de cada aluno, com o objectivo de aprender que dessas palavras "nascem" as derivadas. Por último, preenchemos uma tabela com as novas palavras: maresia, maré, marítimo, marinheiro, pescador, pescaria, pescada, barqueiro, barcaça, embarcar, desembarcar...aprendendo que as novas palavras são derivadas e se formam juntando letras antes e/ou depois da palavra primitiva: são as palavras derivadas por prefixação e/ou sufixação.
Como sempre, a turma mostra relutância em trabalhar! Começam sempre por dizer que é difícil, que não gostam, que não sabem...mas depois acabam por fazer e não me pareceu nada mal, o resultado.
Alguns ainda não terminaram de pintar, outros conseguiram concluir.
Aqui ficam os trabalhos da Ana, da Bruna, do Nelson, da Sandra, do Pedro e do Luís.

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"