"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

18/02/14

A Borracha batalhadora!

"Era uma vez uma borracha que se cansou de apagar...",  pois, começava a ser monótono!
Então ela parte para uma aventura e encontra o seu novo marido, o Sr. Humberto, que era uma caneta. Como ela não podia apagar, pensou que seria feliz, mas não sabia no que se estava a meter! Ele era astuto, matreiro e muito ganancioso! Roubava, fazia burlas e vendas ilegais!
Ela começou a notar tudo isso e tentou "apagar" as asneiras do marido, mas será que conseguiria? É claro que não, pois uma borracha branca, não apaga tinta, como toda a gente sabe!
Decidiu pedir o divórcio e partir em busca de uma nova aventura amorosa, pois não era daquelas que desistem de buscar a felicidade.
Passado algum tempo, encontrou o Sr. Ricardino, que era um lápis muito famoso pelos textos literários e poéticos, que escrevia.
A dona Borracha achava que o Sr. Ricardino era um bom partido, porque além de ser um bom escritor, ela podia apagar qualquer asneira que ele fizesse.
Mas não foi preciso, porque o senhor Ricardino era muito diferente do senhor Humberto: era ótimo marido, dedicou-lhe vários dos seus melhores poemas e, sendo assim, nunca mais precisou de apagar nada, pois ele era um marido fabuloso!


Leonardo, 6ºI


Sem comentários:

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"