"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

12/03/09

Um Livro que vale mesmo a pena Ler!


Trata-se da história de um gato, Zorbas, gato grande, preto e gordo, que mora numa casa perto do porto de Hamburgo. Numas férias em que Zorbas fica em casa sozinho, estava ele a apanhar sol na sua varanda, quando lhe cai de repente à sua frente uma gaivota moribunda, que depois de ter sido apanhada pela maré negra, perde-se do seu bando e faz da varanda do Zorbas o seu último destino. Porém, antes de morrer, põe um ovo, e faz três pedidos a Zorbas, o primeiro é que não coma o ovo; o segundo, que tome conta da pequena gaivota que irá nascer, o terceiro é que a ensine a voar. Perante o estado da pobre gaivota, Zorbas aceita os desafios, sem se aperceber do tamanho de tal responsabilidade. Assim começa a sua aventura e, sendo fiel à sua palavra, vai fazer todos os esforços para fazer cumprir as suas promessas. Até a pequena gaivota nascer, Zorbas, que até agora tinha uma vida descontraída, vê-se com a tarefa de chocar o ovo, desta forma quando a pequena gaivota nasce, Zorbas é chamado de mamã. Neste momento, Zorbas procura os seus amigos, que o vão ajudar a cuidar da pequena Ditosa, assim a chamaram, e ajudá-lo nesta difícil tarefa. Os seus amigos são, Collonelo, um gato de alguma idade sempre pronto a dar um bom conselho, Secretário, o seu ajudante, o Sabe-Tudo, gato muito inteligente e o Barlavento, um gato marinheiro. Com as enciclopédias do Sabetudo, com a boa vontade de todos, e com o sentido de cumprir esta obrigação a todo o custo, este pequeno grupo de gatos, começa então esta difícil tarefa, de dar umas lições de sobrevivência a Ditosa, de a ensinar a voar, e de lhe dar o amor e carinho do qual a sua mãe ficou privada. Ditosa, integra-se bem no grupo, de tal modo que começa a achar que também ela é um gato, e que é com eles que ela quer ficar e começa então a lutar contra o esforço dos seus amigos. Mas Ditosa é realmente uma gaivota e a sua verdadeira natureza começa a vir ao de cima, e apesar da imensa vontade de ficar com a sua “família”, a vontade de abrir as asas e voar também a invade. De tal forma que numa noite chuvosa, Ditosa finalmente abre as suas asas, segue o seu destino, e voa, deixando Zorbas com lágrimas nos olhos ao ver partir a sua amiga, mas compreendendo também a necessidade dela de seguir a sua natureza. É uma lição linda, de dois seres completamente distintos, que por partida do destino se juntam, que por honra a uma promessa acabam por construir uma bela amizade, de um grupo de amigos que por lealdade a um do grupo, e que apesar de todas as dificuldades aparentes, o ajudam a cumprir uma promessa quase impossível de cumprir. Como podem ver, é uma parábola cheia de significado, a história de uma linda amizade e de valores que não vemos no dia a dia, um exemplo a seguir e mais do que isso, uma conclusão a tirar: tudo a que nos prestamos a fazer, se o quisermos verdadeiramente, conseguimos alcançá-lo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"