"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

16/03/09

O cavaleiro formoso!

Também o Gonçalo Amaral e o Ronaldo me surpreenderam com o texto, escrito a pares...Ver o Gonçalo calmo e a escrever é outro verdadeiro milagre! É por isso que continuo a acreditar e a sonhar. Tal como lhes prometi...deixo-vos com... um cavaleiro especial.
O Cavaleiro formoso
Era uma vez um cavaleiro muito formoso, que se chamava Henrique. Vivia em péssimas condições, numa gruta, com sua mulher Isabel e os seus dois filhos, Vítor e Joana.
Esse cavaleiro tinha um grande sonho: construir um castelo!
Quase não via a família, pois trabalhava dia e noite, para um dia alcançar o seu sonho e dar uma vida cheia de felicidade à sua pequena família!
Era horrível partilhar a gruta com morcegos, ratos e mosquitos...mas, num dia muito ventoso, em que nada fazia prever algo de bom, um milagre aconteceu! Encontrou um relógio. Hesitou muito, antes de lhe tocar, mas por fim convenceu-se. Mal ele sabia que o relógio era mágico! assim que lhe tocou, ficou com uma sabedoria imensa: não havia pergunta, para a qual não soubesse a resposta. Sentiu-se mais perto do seu sonho, pois com semelhante dom, tudo poderia conseguir! Afinal, ia conquistar o seu desejado castelo e tirar a família daquela nojenta gruta!
Porém havia uma condição: só podia usar o dom recebido, se derrotasse um rato gigante, que também sonhara com o relógio mágico e ansiava dominar o mundo! O pior era que esse rato estava furioso, pois soube que o cavaleiro encontrara o relógio primeiro!
O nosso cavaleiro era ousado e foi combater contra o rato, mais o seu poderoso exército e, mal lá chegou, soube o que dizer, sem sequer suspeitar que era o relógio que o instruía!
- Não vale a pena começar uma guerra! Tu queres o relógio mágico, eu quero apenas um castelo, para viver com minha família...Dou-te o relógio, em troca de um castelo!
O rato aceitou de imediato, pois não sabia que o relógio já de nada servia, pois perdera a magia e que o cavaleiro tinha ganho a sabedoria por toda a eternidade!
O cavaleiro recebeu do poderoso rato, o ambicionado castelo e nem cabia em si de contente! Até dava pulos de alegria! Foi a correr buscar sua mulher e os seus filhos, para os levar para o castelo...
Quanto ao rato, descobriu que o relógio já não tinha qualquer poder, mas não podia fazer nada...era tarde para o fazer...não podia voltar atrás, pois um acordo é um acordo.
Vitória, vitória, a história acabou com o cavaleiro no trono...Viveu feliz para sempre com os seus.
Ronaldo e Gonçalo, 6ºC
Cartas: relógio mágico, rato, ousar, gruta,cavaleiro,castelo, querer

1 comentário:

Ronadlo disse...

eu e o gonçalo somos grandes amigos e a nossa amizade fez o texto!!!

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"