"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"

10/03/11

A partir de um texto...

Pedi à minha Direcção de Turma para continuar a imaginar e criar um texto, a partir de um excerto de Matilde Rosa Araújo. Trata-se de um excerto de A rainha e o Gato.
Apenas três alunos cumpriram! Esta pausa de Carnaval, foi apenas tempo de folia e brincadeira, não cabendo um espaço de escrita. Não me surpreendi muito, pois esta turma é pouco cumpridora, mesmo em tempo de aulas...Mas os três que fizeram merecem ver aqui os textos publicados, pois estão uma delícia, como podem ler. Em baixo, temos o texto de um aluno brilhante, o Gonçalo Cavaco, que me deixou maravilhada ao ouvi-lo na aula.
Deixo-vos aqui os textos de outros dois alunos fantásticos: o Fábio Fouto, " o meu menino mais doce" e o Pedro que, apesar de ter algumas dificuldades, nomeadamente de ortografia, tem sido muito cumpridor e esforçado...O Pedro é além de tudo isso, um miúdo sempre alegre, que nos contagia com essa alegria. Obrigada, aos três.
... No dia seguinte, à noite, a rainha foi correr pelos telhados e tropeçou outra vez no gato preto! Ambos fugiram e a situação repetiu-se, dia após dia, durante uma semana!
As crianças já quase não aguentavam em pé, pois a rainha não contou ao gato que todas as noites ia a correr pelos telhados para deixar um pó mágico, que faz as crianças adormecerem.
Então, certa noite, a rainha em vez de ir a correr, espalhar o pó mágico, para as crianças adormecerem, foi devagar, para não tropeçar no gato.
Mas não conseguiu espalhar bem o pó!
Decidiu falar com o gato:
-Ó gato, porque vens para o telhado?-quis saber a rainha.
-Ora, muito simples, porque não tenho casa! - respondeu o gato, com os olhos verdes, que em vez de luzidios se tornaram muito claros e pálidos.
- Eu arranjo-te um abrigo, se me prometeres que não voltas para cima dos telhados. É que eu preciso de espaço, para correr e espalhar o pó dos sonhos.
-Mas como? - perguntou o gato, pouco confiante.
-Já vais ver...
A rainha levou o gato para uma janela, onde uma menina o viu. Encantada com os olhos brilhantes do gato, logo o acolheu.
Assim, o gato deixou de atrapalhar a rainha dos sonhos e as crianças voltaram a dormir descansadas.
Fábio Fouto, 6ºG
...a rainha e o gato tornaram-se grandes amigos e começaram a combinar muitas coisas, para fazerem juntos.
Combinaram um dia fazer um piquenique no parque e lá foram eles a correr, deixando as pessoas pasmadas ao verem um gato e uma rainha a lanchar!
Brincaram, saltaram e contaram histórias um ao outro, pois ambos conheciam muitos segredos e histórias. Afinal, passavam as noites a correr pelos telhados, ouvindo os humanos e vendo as brincadeiras e sonhos das crianças!
Tiveram ainda tempo para dar comida aos pombos e tornaram-se ainda mais amigos.
Sempre que podem, brincam e passeiam juntos, vivendo aventuras fantásticas e, à noite, fazem companhia um ao outro, em cima dos telhados, onde a rainha dança descalça, para o seu melhor amigo.
Pedro, 6ºG

1 comentário:

Joana Anselmo disse...

Os vossos textos estão... mágicos!!!
Muitos parabéns aos dois e que continuem assim!!!

Enviar um comentário

Fascinante!

Fascinante!

Bons Sonhos!

Bons Sonhos!

"Poema em P"

"Poema em P"

Criar e imaginar

Criar e imaginar

Momentos...

Momentos...

" A Menina do Mar"

" A Menina do Mar"

"A viúva e o papagaio"

"A viúva e o papagaio"

"O meu amigo, o sono"

"O meu amigo, o sono"